Sobre a empresa

A Ótima Transportes de Salvador é um consórcio formado pela união de seis empresas do sistema de transporte da capital baiana: São Cristóvão, Modelo, Unibus Bahia, União, Transol, Expresso Vitória, Triunfo e RD. O grupo é um dos três consórcios vencedores do processo de licitação do transporte público da cidade, que começou a vigorar em janeiro de 2015, para um contrato de concessão de 25 anos. Atualmente, o consórcio é responsável pelo atendimento da cerca de dois milhões de passageiros por mês.

Desafio

Após a formação do consorcio, os desafios eram imensos. O grupo de empresas precisava se organizar para otimizar a gestão e atender os critérios da licitação, que previam, a partir de 2015, o início dos trabalhos para a otimização e a melhor administração das frotas de ônibus e ampliação da performance na mobilidade urbana da capital. Com o processo de junção das empresas, o consorcio planejou a migração de funcionários, garagens e equipamentos para uma nova estrutura organizacional. A ideia era montar uma estrutura de forma rápida, sem a necessidade de desativar as operações das respectivas empresas. Uma coisa era certa: na fase inicial dessa nova organização, implementar um Centro de Processamento de Dados (CPD) poderia exigir altos investimentos e tempo para a montagem.

Ótima Transportes de Salvador
Ótima Transportes de Salvador

Solução

Dadas as novas condições do cenário e o curto prazo, o consórcio resolveu começar as operações com a infraestrutura de TI hospedada na nuvem. A estrutura inicial seria enxuta, com poucos funcionários. O objetivo era permitir que o consórcio pudesse operar sem problemas até que uma estrutura própria de servidores, bastante parruda, pudesse ser construída. No entanto, à medida que os funcionários conheceram os benefícios e as facilidades da hospedagem em nuvem, mais distante ficou a ideia da montagem de um CDP. “Vimos que era possível ampliar nossa capacidade de processamento sem a necessidade de construirmos um CDP próprio”, afirma Jorge Nery, gerente de TI da companhia.

 

Ele também destaca inúmeras vantagens no serviço prestado pela Sky.One: “A maioria das empresas só oferece a máquina, enquanto a empresa tem que preparar tudo, desde comprar e instalar as licenças do sistema operacional e do banco de dados, assim como o aplicativo que garante o funcionamento do sistema. A Sky.One, por sua vez, fornece a máquina pronta, com tudo instalado para começar a operar”.

Resultados

A solução da Sky.One simplificou a gestão de TI do consórcio. Como o armazenamento em nuvem dispensa a implementação de um servidor no local, a empresa pôde abrir mão da necessidade de fazer a gestão da estrutura de TI e de ter funcionários dedicados às atividades desta área, como o controle do banco de dados. Com isso, Nery destaca que o consórcio passou a ter mais condições para abrir uma nova filial. “Com apenas um ponto de internet, o usuário já pode começar a usar os serviços em nuvem.

 

Não precisa de grandes preparações”, afirma o executivo. Além disso, o investimento inicial é significativamente mais baixo em relação à montagem de um CPD. Segundo o gerente de TI, a companhia precisaria desembolsar cerca de R$ 198 mil para montar a estrutura e começar a funcionar.

 

“A maioria das empresas só oferece a máquina, enquanto a empresa tem que preparar tudo, desde comprar e instalar as licenças do sistema operacional e do banco de dados, assim como o aplicativo que garante o funcionamento do sistema. A Sky.One, por sua vez, fornece a máquina pronta, com tudo instalado para começar a operar, afirma Jorge Nery, gerente de TI da companhia”