O universo tecnológico mudou muito nos últimos anos, devido à disseminação da cloud computing por todo o planeta. Da época em que era apenas uma tendência até os dias de hoje, ela evoluiu bastante, e gerou resultados fantásticos para empresas de diversos portes e setores espalhadas por todo o mundo. Mas assim como a tecnologia envolvida na nuvem, a forma como ela é gerenciada também deve evoluir.

Isso porque somente assim a empresa conseguirá tirar um maior proveito dela. Mas, infelizmente, muitos CIOs ainda não fazem um gerenciamento assertivo e adequado da nuvem, o que acaba impactando a estratégia, a empresa e os usuários das aplicações. No post de hoje, separamos três elementos que os líderes de TI devem focar no processo de gestão da nuvem, para fazer ela gerar mais valor para o negócio. Veja quais são eles:

1. Estratégia

Utilizar a cloud computing sem uma estratégia planejada e bem definida é o mesmo que andar numa floresta sem uma bússola. Alguma hora, geralmente no curtíssimo prazo, o CIO perceberá que ele está andando em círculos. Isso porque sua equipe não saberá quais dados e aplicações migrar para a cloud, como tratar as questões de regulamentação e privacidade e como adaptar o modelo operacional do departamento a essa tecnologia.

E isto acabará fazendo com que a equipe não utilize a cloud da melhor forma possível. O ideal seria que, antes dos dados ou aplicações serem migradas para a nuvem, o CIO elaborasse uma estratégia juntamente com a sua equipe e os outros gestores. Os planos e táticas traçadas nessa estratégia ajudarão o departamento a seguir um caminho que levará ao sucesso da adoção e da implementação da cloud na empresa.

2. Necessidades da empresa

A nuvem deve atender às necessidades da empresa, e não vice-versa. Por isso, outro importante elemento que o CIO deve focar diz respeito às reais necessidades do negócio, para moldar os serviços de cloud a ele. Se a aplicação da empresa estiver, por exemplo, enfrentando picos de demanda constantes, o gestor deve intervir e contratar um maior poder de computação, para poder supri-los e não impactar a experiência dos usuários.

Já se a organização estiver tendo a sua base de clientes aumentada, devido a campanhas realizadas pelo setor de marketing, então o CIO deve contratar um maior poder de armazenamento em nuvem. Estes dois casos são bastante comuns nas empresas. Se o líder de TI não estiver atento a eles, e pronto para moldar a nuvem às necessidades da organização, ela certamente será impactada negativamente.

3. Usuários

A nuvem deve se moldar não só às necessidades das empresas, como também às necessidades dos usuários das aplicações, tanto internos (colaboradores) como externos (clientes da empresa). Afinal, a cloud deve lhes oferecer a quantidade de armazenamento e computação ideal para as aplicações funcionarem de forma certa, sem interrupções ou qualquer outro problema que comprometa o seu desempenho.

É por isso que os usuários também merecem a atenção do CIO durante a gestão da cloud computing. Tanto os colaboradores como os clientes dependem da cloud para verificarem e compartilharem informações, armazenarem seus dados e acessarem as aplicações em qualquer lugar do mundo. Daí a importância de focar neles na hora de gerenciar a nuvem, para realmente atender às suas necessidades.

Agora que você já sabe quais são os elementos que merecem atenção durante a gestão da nuvem, aproveite para conhecer a importância da elaboração da estratégia na hora da migração. E se tiver ficado com alguma dúvida, basta escrevê-la nos comentários! [:]