A AWS continua gerando lucros operacionais significativos para a Amazon. Durante uma teleconferência realizada recentemente, a gigante varejista divulgou os ganhos obtidos pela sua subdivisão mais lucrativa no segundo trimestre fiscal de 2016. Nesse período, as receitas da AWS atingiram o incrível patamar de US$ 2,9 bilhões, muito acima da cifra registrada no segundo trimestre de 2015, de US$ 1,8 bilhões.

De acordo com Brian Olsavsky, CFO da Amazon, existem três fatores que contribuíram para o aumento das receitas da AWS: inovação, ecossistema e experiência. Para ele, estes são os fatores coadjuvantes não só do aumento das receitas, mas também do rápido crescimento da AWS frente às outras unidades de negócios da Amazon Web Services. A seguir, falaremos mais sobre esses fatores. Não deixe de conferir:

Inovação

Na teleconferência, Olsavsky disse que o mercado de cloud computing não tem espaço para vários fornecedores. Para ele, a AWS está conquistando grande parte desse mercado principalmente por causa de seu rápido ritmo de inovação. Para os especialistas, a Amazon lança serviços e recursos muito mais inovadores do que startups que estão começando agora no mercado, apesar de sua longa experiência e de seus muitos anos de vida.

Seus planos para os próximos anos é continuar investindo em serviços voltados para aplicações, tecnologias para ambientes híbridos e funcionalidades para plataformas de análises de dados e Internet das Coisas. Tudo isso entregará mais e mais valor para os seus clientes. Somente no primeiro semestre de 2016, foram lançados 422 novos serviços e recursos. A meta é superar o número registrado no ano passado, de 722.

Ecossistema

A AWS conta com um enorme ecossistema de parceiros, conhecido como APN (AWS Partner Network ou, no português, ‘Rede de Parceiros da AWS’). As empresas parceiras recebem treinamentos e passam por um processo de credenciamento e certificação, para ficarem aptas a atenderem todas as necessidades dos clientes. A Sky.One é parceira estratégica da AWS no Brasil e nos Estados Unidos para migração e soluções em nuvem.

Os primeiros são empresas que ajudam os clientes a arquitetar, migrar e gerenciar suas cargas de trabalho ou aplicativos. Já os segundos oferecem softwares que são hospedados na plataforma AWS ou integrados à ela. Olsavsky também conta que esse ecossistema é fundamental para o crescimento da AWS, pois são os parceiros que disseminam os serviços da companhia e garantem que os clientes obtenham resultados positivos com eles.

Experiência

As operações da AWS foram iniciadas em 2006, ano em que o Amazon Simple Storage Service (Amazon S3) e a versão beta do Amazon Elastic Compute Cloud (Amazon EC2) foram lançados. E em 13 de março desse ano, ela completou uma década de existência. No decorrer de todos esses anos, sua equipe testemunhou, com os próprios olhos, a evolução das tecnologias em geral e da própria computação em nuvem.

Para Brian Olsavsky, toda essa experiência adquiria contribuiu para o oferecimento de serviços cada vez melhores e, consequentemente, para a atração de novos clientes e o aumento das receitas da subdivisão. Hoje, a AWS é a preferida daquelas empresas – tanto grandes como pequenas – que querem o apoio de um fornecedor experiente, que realmente conheça as peculiaridades da cloud computing e do mercado.

Gostou do nosso post? Escreva sua opinião no campo de comentários abaixo ou aproveite para entrar em contato conosco e conhecer mais os serviços da AWS!