Hoje, praticamente todos os setores da economia estão apostando alto na computação em nuvem. Neste ano, quem também está pretendendo aderir à esta tecnologia é a indústria bancária, que até pouco tempo atrás a via com ‘maus olhos’. De acordo com o relatório CipherCloud, que contou com a participação de 102 representantes de instituições financeiras de mais de 20 países, 61% deles disseram que já estão criando uma estratégia para a nuvem.

Isso devido à necessidade urgente de aumentarem sua margem de lucro, atenderem aos desejos de clientes – como o acesso à sua conta a partir de dispositivos móveis – e, principalmente, ganharem vantagens competitivas no mercado. Somente com a cloud as instituições conseguirão atingir todos esses objetivos e ainda reduzirem seus custos operacionais. A seguir, veja o panorama geral dessa migração dos bancos para a nuvem.

A dura realidade enfrentada pelas instituições bancárias

Com o aumento da concorrência, todos os bancos do mundo estão se deparando com um cenário de negócios extremamente desafiador. Este é agravado principalmente devido aos consumidores, que, graças à explosão da tendência mobile, passaram a exigir serviços cada vez mais inovadores e a terem total controle de sua conta bancária a partir de dispositivos móveis. Abaixo, listamos outros desafios que eles estão enfrentando:

  • Redução cada vez maior das margens de lucro;
  • Clientes que esperam uma rápida evolução na oferta de serviços;
  • Entrada de novas empresas no mercado a cada ano, elevando a concorrência;
  • Aumento da pressão pelo desenvolvimento de programas sociais e de sustentabilidade;
  • Marcos regulatórios e supervisão constante do Governo.

Mesmo encarando esta dura realidade, muitos bancos ainda realizam suas operações em sistemas criados há mais de 30 anos, bem antes da disseminação do uso da internet em todo o planeta. Por isso, muitos gestores estão considerando a ideia de substituir gradualmente esses sistemas pela computação em nuvem e começarem a desenvolver um ambiente bancário ágil e flexível que realmente atenda às novas necessidades de negócios.

Como cloud computing promete reverter este cenário

É inegável o fato de que a computação em nuvem está revolucionando os ecossistemas de negócios de várias indústrias, e a bancária não é uma exceção. Atuando em um cenário cada vez mais preocupante, onde míseros milissegundos podem significar perdas de centenas de milhares de ações, as instituições necessitam de agilidade em suas operações ao mesmo tempo em que reduzem custos. A seguir, veja como a nuvem pode reverter este cenário:

Reduzindo drasticamente os custos operacionais

Com a cloud, as instituições bancárias podem reduzir seus custos operacionais e aumentar o seu faturamento. Isso porque não há a necessidade delas investirem em uma infraestrutura própria de TI e contratarem uma equipe de profissionais somente para monitorá-la e mantê-la em pleno funcionamento. Além disso, as empresas podem pagar somente pelos serviços que elas usarem, o modelo de pagamento denominado pay-per-use.

Garantindo a continuidade dos negócios

A partir do momento em que uma empresa adota a nuvem, a responsabilidade pela gestão de seu parque tecnológico para a ser do fornecedor. Com isto, ela pode ser mais ágil em questões como tratamento de falhas operacionais e recuperação de desastres. A tecnologia também oferece um alto nível de redundância e back-up a custos muito mais baixos do que as soluções tradicionais geridas internamente.

Oferecendo agilidade para responder ao mercado

A flexibilidade proporcionada pela nuvem permite que os bancos desenvolvam seus produtos e serviços mais rapidamente e respondam de maneira proativa aos desejos de seus clientes e aos desafios impostos pelo mercado. Além disso, após ser contratada, ela pode ser rapidamente implantada na empresa, o que permite que os gestores não percam seu tempo resolvendo questões de TI e mantenham o foco em assuntos mais importantes.

Promovendo a sustentabilidade ambiental

As empresas da indústria bancária também podem utilizar a nuvem para promoverem sua marca como protetora do meio ambiente. Isso porque, ao eliminarem a sua infraestrutura de TI, elas acabam reduzindo gastos com energia elétrica e minimizando a quantidade de dióxido de carbono (CO2) gerada pelos Data Centers que ‘sustentam’ o seu parque tecnológico. Assim, elas ganham o ‘selo sustentável’ e conseguem conquistar vantagens competitivas no mercado.

As principais tendências da cloud para a indústria bancária

Nos dias de hoje, aqueles bancos que continuam operando com sistemas caros e inflexíveis estão correndo um grande risco de serem postos para fora do mercado. Seus gestores precisam saber que apenas com soluções baseadas em nuvem eles terão a possibilidade de reagir rapidamente frente aos desafios impostos tanto pelos clientes como pelo próprio mercado, com um extraordinário custo-benefício.

Seus benefícios são tantos que, de acordo uma pesquisa realizada pela consultoria Ovum, grande parte dos bancos de varejo já considera a nuvem um “negócio comum”, cuja importância vem crescendo principalmente devido à busca por agilidade e suporte a todo o ecossistema empresarial. Ainda segundo ela, todos os bancos devem ter uma estratégia voltada para a nuvem, com foco na transformação de seus negócios a longo prazo.

Viu só o quanto os bancos poderão progredir graças a cloud computing? Que outros benefícios você acha que esta incrível tecnologia proporcionará à estas instituições?

Escrito por

Equipe Sky.One

Este conteúdo foi produzido pela equipe da SkyOne, composta por especialistas em nuvem e transformação digital.