Uma das principais missões do gestor do TI é manter o setor de Tecnologia da Informação sempre ‘nos trilhos’. Ou seja, atendendo as necessidades da organização, mas sem consumir boa parte de seus recursos financeiros. Se ele deixar os vagões do departamento descarrilharem, então a empresa correrá o risco de não atender as demandas e perder muitos recursos. E estes dois fatores podem colocá-la para fora do mercado.

E para contarem com um grande poder de computação e ainda economizarem recursos financeiro, os líderes de TI não estão tendo outra opção a não ser implementar novas tecnologias, como a Cloud Computing e o Big Data. Segundo uma pesquisa realizada pelo Grupo Nomura Holdings, os CIOs estão priorizando a segurança, a Cloud Computing e o Big Data Analytics em seus orçamentos em 2016 e 2017.

A seguir, falaremos mais sobre esse estudo do Grupo Nomura, que fornece uma importante visão sobre a adoção da nuvem do ponto de vista dos CIOs. Acompanhe:

As 3 maiores prioridades dos CIOs

Para fazer o estudo, o Grupo Nomura contou com a participação de 50 CIOs que trabalham em companhias de pequeno e médio porte sediadas nos EUA. E por mais que a realidade desses CIOs não reflita as prioridades de TI do mercado internacional, elas servem como base para possíveis questionamentos. Abaixo, listamos as três principais prioridades citadas por eles, por ordem de relevância:

1. Segurança

Dos 50 CIOs entrevistados, 82% citou a segurança como a principal fonte de gastos de TI em 2016. Isso porque o setor de TI precisa garantir a segurança e a privacidade dos dados e sistemas corporativos. Os gestores muito provavelmente investirão em soluções de segurança que os ajudem a controlar os ativos de TI e gerir os seus usuários, para que o ambiente empresarial fique completamente livre de ameaças cibernéticas.

2. Cloud Computing

A computação em nuvem ocupou o segundo lugar da lista de prioridades. Segundo a pesquisa, 62% dos CIOs implementará tecnologias baseadas em nuvem, visando se beneficiar do seu poder de flexibilidade e escalabilidade e do seu alto nível de confiabilidade. Com a computação em nuvem, eles poderão melhorar os processos organizacionais, mas sem colocar uma pressão extra sobre o orçamento de TI.

3. Big Data Analytics

O Big Data é outra grande preocupação dos gestores de TI, já que as empresas dependerão cada vez mais da coleta e da análise de dados para elaborarem estratégias e ganharem vantagens competitivas no mercado. Do total de CIOs entrevistados, 60% disse que aumentará os seus investimentos em estruturas de coleta, armazenamento, processamento e análise de Big Data em 2016 e 2017.

Outras conclusões feitas a partir do estudo

A previsão dos líderes de TI seniores entrevistados é que os investimentos voltados para infraestrutura física caiam de 67% para 42% até 2018, graças à cloud computing. Eles também preveem que, até 2017, 46% de suas aplicações será baseada no modelo SaaS (Software as a Service), o que reduzirá as despesas com licenças de softwares e também os investimentos em hardwares necessários para rodá-los.

Quanto ao consumo de nuvem pública, híbrida e privada, eles esperam que suba de 31% para 58% até 2018. Mas dentre as três modalidades de nuvem, a pública é a que alcançará a taxa de crescimento mais rápida. Os CIOs também disseram que irão gastar menos em 2016. Os analistas lembraram que esta redução se dá devido ao porte das empresas em que os gestores trabalham, e também à sazonalidade de seus mercados.

E o departamento de TI da sua empresa, o que está priorizando? Escreva suas opiniões, experiências ou questionamentos no campo de comentários abaixo!