Em vários posts do nosso blog, temos citado pesquisas relacionadas à adoção da cloud computing. Um significativo número de empresas vêm hospedando suas aplicações na nuvem pública no decorrer dos últimos anos, enquanto outras vêm implantando nuvens privadas para gerirem áreas-chave de seu negócio. Algumas continuam ignorando a cloud. Mas estas já estão começando a perceber que a sua adoção é inevitável.

Isto é o que os especialistas afirmam há muito tempo. No post de hoje, mostraremos por que as consultorias e pesquisadores afirmam que a implementação da computação em nuvem no ambiente empresarial é algo inevitável. Continue lendo:

A gradativa extinção da política ‘não-cloud’

Segundo a consultoria Gartner, a política ‘não-cloud’ será tão rara em 2020 quanto a política ‘não-internet’ é hoje. Ou seja, a implantação da nuvem será obrigatória em 2020, assim como a utilização da internet é imprescindível nos dias de hoje. Para a Gartner, até mesmo as companhias mais inflexíveis e ‘contra-tecnologias’ jogarão a toalha e admitirão que a nuvem é uma força que elas definitivamente não pode controlar.

Outro estudo realizado pela Veritas Technologies, que entrevistou 1.800 executivos de TI, confirma a gradativa extinção da política ‘não-cloud’. O levantamento mostrou que quase três quartos das empresas continuam elaborando e implementando estratégias de nuvem pública e privada. O número de cargas de trabalho críticas hospedadas na nuvem também dobrará nos próximos anos, quase na mesma taxa que as cargas não críticas.

Os observadores da indústria preveem que a migração para a cloud computing irá acontecer muito mais cedo do que mais tarde, antes mesmo de 2020. Para Jeffrey Mann, analista da consultoria Gartner, “a cloud será cada vez mais a opção padrão para a implantação de software. O mesmo vale para o software personalizado, que cada vez mais é projetado para rodar em alguma variação de nuvem pública ou privada”.

A migração ‘agressiva’ para a nuvem

Nos últimos anos, algumas empresas vêm adotando uma postura agressiva em relação à migração para a nuvem. A Johnson & Johnson, uma companhia que fabrica equipamentos médicos e farmacêuticos, informou que pretende ter 85% de seus sistemas e aplicações hospedadas na nuvem pública em até dois anos, para cortar gastos e simplificar as operações. Mas esta não é a única empresa que está adotando essa postura agressiva.

Algumas companhias da Fortune 50 também estão movendo parte de sua infraestrutura para a nuvem. A Coca-Cola Co., por exemplo, já migrou 20% dos seus sistemas para um ambiente de computação em nuvem. E esta porcentagem poderá chegar a 50% daqui dois ou três anos. A General Electric Co. também informou que pretende se livrar de parte de seus date centers locais e migrar seus dados mais sensíveis para a cloud.

A mudança das estratégias dos fornecedores

Até o final da década, grande parte dos fornecedores de software mudarão as suas estratégias. Eles deixarão de desenvolver softwares tradicionais e softwares em nuvem, e passarão a oferecer apenas os segundos, o que acabará ‘empurrando’ os gestores indecisos em direção à computação em nuvem. Isto sem contar o fato de que os recursos tecnológicos de ponta estarão disponíveis apenas na nuvem.

Embora essa mudança de estratégia indique o aumento da confiança das empresas em relação à cloud, ela também mostra que os fornecedores sentirão uma ‘pressão adicional’. Eles terão que garantir a alta disponibilidade dos serviços e evitar qualquer inatividade, já que um número espantoso de empresas dependerá da nuvem para desenvolver novos produtos e serviços, fazer análises de Big Data, entre tantas outras tarefas.

E como o universo corporativo estará se deslocando para a cloud, a maioria das organizações terá que refletir a realidade de seus negócios. Isso porque a nuvem exige mudanças, tanto no ambiente empresarial, como no comportamento dos colaboradores. O gestores de TI, juntamente com o seu pessoal, terão que elaborar estratégias para a cloud ser utilizada da melhor maneira possível e gerar bons resultados para o negócio.

E você, também acha que a adoção da cloud é inevitável? Compartilhe sua opinião com a gente no campo de comentários abaixo![:]