Os serviços de computação em nuvem, já fazem parte da realidade da maioria das pequenas e médias empresas. Seja um serviço de nuvem pública ou privada, as organizações estão aderindo cada vez mais a essa ferramenta. Enquanto isso, as grandes empresas que já estão bem adaptadas ao uso do cloud computing começam a pensar em desenvolver uma nuvem privada em seu futuro. A oportunidade de transformar para melhor a maneira como a empresa e os colaboradores trabalham e, assim, impulsionar negócios integram alguns dos motivos que fazem as companhias adotarem a nuvem.

Além da transformação: por que as empresas querem a implantação de cloud computing

A computação em nuvem permite a implantação de serviços somente quando são necessários. Consequentemente, essa possibilidade garante a redução de custos pagando-se somente pelos serviços que são efetivamente usados. A flexibilidade é outro ponto positivo da computação na nuvem, pois os modelos de nuvem são pensados para funcionar em conjunto com o propósito de se adequar em diferentes modelos de empresas.

Observa-se também que as tendências de mercado para os próximos anos apontam que todas as empresas terão que adotar um plano de serviços em nuvem, demonstrando que são ágeis e voltadas para o futuro.

De acordo com um estudo recente realizado pela International Data Corporation (IDC), em 2013, o mercado de serviços de nuvem pública em todo o mundo atingiu US$ 45.700 milhões e a previsão de crescimento do setor será de 23% até 2018. Entre os serviços que integram a nuvem pública analisados pela IDC estão: Software as a Service (SaaS), Platform as a Service (PaaS) e Infrastructure as a Service (IaaS). Desses, o mercado de SaaS foi responsável por 72% do mercado total de serviços de nuvem pública e deverá crescer a uma taxa anual média de 20%. Este serviço é dominado por soluções de Enterprise Applications, tais como gestão de recursos empresariais (ERM) e gestão de relacionamento com clientes (CRM), seguido de aplicações colaborativas.

A outra grande parte do mercado de SaaS, incluindo a segurança, gerenciamento de sistemas e serviços de nuvem em gerenciamento de armazenamento representaram 21% do mercado de SaaS em 2013. Já os serviços de PaaS apresentaram uma taxa de crescimento menor, de 14% do mercado em 2013, porém a perspectiva de avanço é de 27%. O PaaS é composto por uma grande variedade de desenvolvimento estratégico em app nuvem, implementação e serviços de gestão. Em 2013 e no começo de 2014, os gastos das empresas com PaaS foi em grande parte impulsionada por soluções de integração e automação de processos, soluções de gerenciamento de dados e serviços de Application Server Middleware.

Os investimentos em serviços correspondentes a Infrastructure as a Service (IaaS) – composto por dois segmentos principais: servidores e armazenamento básico – foi de US$ 3,6 bilhões em 2013 e tem projeção de crescimento de 31% até 2018.

O estudo da IDC investigou também o volume de recursos investidos em cloud computing pelas empresas no mundo. O resultado apurado apontou que os Estados Unidos detém quase 68% do mercado. A Europa Ocidental detém 19% e os outras seis regiões pesquisadas pelo IDC detém cada uma delas menos de 5% do mercado. No entanto, a IDC prevê que até 2018, a participação dos Estados Unidos vai cair para 59%, enquanto a Europa Ocidental vai crescer para 23%. Regiões emergentes também devem crescer acima da média mundial. A partir disso, especialistas afirmam que vive-se um momento crucial na batalha pela liderança e inovação na nuvem.

E a sua empresa, como pode se beneficiar do cloud computing? Conte para a gente na seção de comentários abaixo!

 

Escrito por

Equipe Sky.One

Este conteúdo foi produzido pela equipe da SkyOne, composta por especialistas em nuvem e transformação digital.