Criar aplicações que escalam horizontalmente é um grande desafio – e mais comum do que imaginamos! Entender como esse processo de dimensionamento funciona pode beneficiar o seu negócio de diversas maneira. 

Esse é um trabalho que possui diversas etapas: dividir o conjunto de dados do sistema, carregá-los em vários servidores, descobrir quantos servidores extras você precisa… E por aí vai. Antes de mais nada, saiba que esse processo não precisa ser uma dor de cabeça. Entender como funcionam as aplicações que escalam horizontalmente pode ajudá-lo a tomar melhores decisões pelo seu negócio.

O que são aplicações que escalam horizontalmente?

A nuvem fornece uma infraestrutura que pode ser alterada e adaptada para lidar com uma carga de trabalho crescente ou decrescente. Esse processo pode ser chamado de scaling, que pode ser up ou down, e significa que nossa infraestrutura pode ser ampliada, dimensionada ou reduzida facilmente, dependendo das necessidades do sistema.

Scaling up consiste em adicionar instâncias ao nosso grupo, ou seja, aumentar a capacidade de processamento de uma solução. Scaling down é a remoção de instâncias do grupo, reduzindo os custos associados. Portanto, aplicações que escalam horizontalmente são aquelas capazes de aumentar ou diminuir a capacidade de um sistema ao adicionar ou remover componentes e nós.

Por que criar aplicações que escalam horizontalmente?

A nuvem é construída para fornecer escalabilidade infinita de seus recursos, mas essa vantagem não vale nada se a sua própria aplicação não for projetada para aproveitá-la.

Construir aplicações que escalam horizontalmente é fundamental para:

  • Ter disponibilidade instantânea e contínua;
  • Pagar apenas pela capacidade que você usar;
  • Dimensionar e redimensionar adequadamente às suas necessidades.

Como criar aplicações que escalam horizontalmente

Existem algumas práticas imprescindíveis para criar aplicações que escalam horizontalmente.

  1. Ao criar aplicações que escalam horizontalmente, você deve saber o que será compartilhado quando você quiser escalá-las. É muito importante identificar todos os gargalos na fase inicial;
  2. Desenvolva uma arquitetura orientada a serviços. Usar camadas  independentes de web, aplicativo, armazenamento em cache e banco de dados é essencial para dimensionar sob demanda. Sem ela, você terá que ampliar cada componente de sua aplicação conforme a carga de trabalho aumenta. Não se esqueça de pensar em autenticação, load balancers, regras de scaling up & down, paralelização de tarefas;
  3. Escolha o framework adequado. Este é um tópico frequentemente ignorado, mas é uma decisão vital para criar aplicações que escalam horizontalmente. Os mais comuns são: ASP.NET, Django, Flask, Ruby on Rails, Angular e React;
  4. Simule sua escalabilidade horizontal! É muito difícil identificar o que irá falhar ou não quando você aumentar a carga de trabalho para além dos limites usuais. Você precisa testar e enxergar exatamente como o dimensionamento afeta o rendimento;
  5. Migre para a nuvem. Usar uma arquitetura sem servidor é ótimo para aplicações que escalam horizontalmente.

Como economizar com aplicações que escalam horizontalmente

Criar aplicações que escalam horizontalmente exige alta disponibilidade, alta escalabilidade e alta eficiência. No entanto, as soluções disponíveis no mercado geralmente vêm com um alto preço associado.

Para ajudá-lo a resolver esse dilema nós criamos o Sky.Saver, uma solução capaz de reduzir em até 80% seus gastos com infraestrutura AWS. Promovemos todos os benefícios das instâncias EC2 pelo preço das instâncias SPOT.

Com uma mãozinha da inteligência artificial, oferecemos uma gestão descomplicada, escalável e econômica. O melhor: não há custos fixos com o Sky.Saver. Você só paga uma porcentagem sobre o valor economizado, em reais.

Teste gratuitamente o Sky.Saver por 15 dias. Fale com nossos especialistas e comece a economizar hoje mesmo.

Escrito por

Equipe Sky.One

Este conteúdo foi produzido pela equipe da SkyOne, composta por especialistas em nuvem e transformação digital.