O comércio eletrônico se tornou fundamental para a grande maioria dos países. Além de estar movimentando fortemente a famosa roda da economia, o setor tem fomentado o empreendedorismo em praticamente todas as classes sociais. Estatísticas mostram que o mercado online tem impactado bastante o offline.

Atualmente, abrir uma loja virtual se tornou um procedimento muito fácil e de baixo investimento, principalmente quando se trata de um pequeno negócio e com um volume pequeno de transações.

Mas e quando o negócio começa a dar certo e o número de transações passa a impactar na performance do site, comprometendo as vendas e promoções, e causando a insatisfação do cliente, o que fazer?

Os bastidores de um e-commerce

A estrutura existente em um e-commerce, que muitas vezes é uma caixa preta para quem administra uma loja virtual, depende de um conjunto de recursos e serviços que precisam garantir a alta disponibilidade para que os produtos sejam vendidos a qualquer hora do dia.

O funcionamento pode mudar um pouco de acordo com o fornecedor da solução, mas basicamente uma loja virtual consiste  na contratação de um provedor de hospedagem de comércio eletrônico. Isso dá direito a uma determinada quantidade de espaço em um servidor de computador e há uma cobrança mensal pelo serviço, juntamente com o uso de software para processamento de pedidos on-line.

Quanto ao servidor, ele pode ser compartilhado com outros clientes, ou no caso de empresas que esperam uma quantidade maior de transações, podem ser dedicados exclusivamente a um cliente.

Para garantir o processamento de pagamento, esses provedores podem ajudar na criação de contas comerciais para disponibilizar o pagamento das vendas de diferentes formas, como cartão de crédito, débito ou boleto bancário. Alguns provedores de hospedagem ainda registram o nome de domínio de uma empresa como parte do pacote.

As empresas de hospedagem de comércio eletrônico costumam gerenciar toda a infraestrutura técnica da criação e manutenção de um site comercial para seus clientes. Para as empresas de menor porte, isso geralmente é fundamental em termos de custos, já que eles estão basicamente compartilhando o custo de equipamentos caros e conexões de internet com outras empresas.

A hospedagem do e-commerce na computação em nuvem

À medida que cresce o número de transações e clientes, alguns aspectos se tornam prioritários para quem possui uma loja virtual: segurança, alta disponibilidade e tempo de resposta em uma venda. Os provedores de hospedagem em comércio eletrônico também possuem essas mesmas preocupações, entretanto, a estrutura compartilhada e o aumento das vendas podem inviabilizar o uso desta estrutura.

A questão da segurança não consiste apenas em evitar o roubo de informações, como dados pessoais e números de cartões de crédito, mas consiste também em garantir a alta disponibilidade da loja e também procedimentos envolvendo a recuperação das operações em pouco tempo.

Para ter essa garantia, a computação em nuvem dispõe de diversos recursos e funcionalidades suficientes para manter o desempenho de negócios on-line, tudo isso com um custo reduzido, de fácil acesso e administração.

  • Balanceamento de carga

  • Backup e armazenamento

  • Recuperação de desastres

  • Escalonamento automático

  • Ferramentas de segurança e conformidade

Poucos provedores de nuvem oferecem tantos recursos como a Amazon. A lista acima mostra apenas uma pequena parte do que pode ser aplicado ao seu projeto de e-commerce, por isso é importante fazer uma análise detalhada do que pode ser aplicado em sua loja virtual.

Um conselho importante antes de iniciar sua migração para a cloud computing é contar com o suporte especializado em planejamento e execução de projetos em computação em nuvem. A Sky.One tem especialistas que podem ajudar nestas fases. Entre em contato conosco e saiba mais. Continue nos acompanhando em nosso blog, com dica e informações sobre a tecnologia em nuvem.

Escrito por

Equipe Sky.One

Este conteúdo foi produzido pela equipe da SkyOne, composta por especialistas em nuvem e transformação digital.