As APIs, Application Programming Interface, são um meio de troca de informação entre diferentes sistemas, algo muito procurado atualmente. Por isso, o desenvolvimento de API é uma habilidade cada vez mais requisitada por empresas para seus profissionais de TI. 

Com essas integrações existe um aumento do bom desempenho de diferentes tipos de soluções tecnológicas, como sites, aplicativos, boots e etc. Em um mundo cada vez mais conectado essas ferramentas vêm se mostrando essenciais.

Uma companhia hoje utiliza mais de um software na gestão de seu negócio, e nem sempre esses sistemas possuem integrações nativas. Isso acabou criando uma alta demanda para os desenvolvedores e programadores. 

Neste artigo, falaremos sobre 5 boas práticas para evitar erros indesejados na hora do desenvolvimento de API. 

O que é API? 

Primeiro, vale a pena lembrar alguns conceitos sobre as APIs, como já falado elas são uma ferramenta de mediação entre sistemas. Nessa relação, um dos sistemas “oferece” uma interface de comunicação para outro sistema acessar suas funções, dados e recursos.

 

Em outras palavras, as APIs são um conjunto de rotinas e padrões definidas por uma pessoa desenvolvedora para facilitar a troca de informações entre sistemas. 

 

A plataforma ou software que recebe as informações não precisa saber como aqueles dados foram implementados, e isso facilita as integrações entre diferentes tipos de sistemas. 

 

Existem diversos tipos de APIs, porque cada uma é criada conforme a necessidade de quem a desenvolveu, além disso, essas ferramentas podem ser criadas em diferentes linguagens da programação. 

 

Na hora de desenvolver uma API deve-se levar em consideração, além do bom desenvolvimento em si, a criação de uma documentação concisa e clara que facilite sua implementação.

 

Algo comum entre APIs é a utilização de um formato pré-definido de dados, como o XML ou o YAML, para as trocas entre os sistemas. O JSON é o mais utilizado para APIs criadas para aplicações Web, além disso existe um padrão adicional chamado REST. 

 

Saiba mais sobre a definição de API no artigo: “O que é API?”

Vantagens de uma API

Geralmente, uma API é criada quando uma companhia que possui um software quer que outras empresas criem produtos associados ao seu. Quando bem desenvolvida, a API oferece integração simplificada dos recursos de várias plataformas. 

 

As APIs também facilitam a manutenção e promovem uma maior segurança aos softwares. Além de promover a inovação dentro da cultura empresarial, já que viabilizam parcerias e auxiliam no desenvolvimento de soluções personalizadas.  

 

Essas ferramentas ainda ajudam na diminuição do trabalho manual dentro de uma companhia e uma mesma API consegue mandar dados para programas de desktop, sites e aplicativos de celulares.  

 

Boas práticas para o desenvolvimento de uma API

 

A API é criada para ser acessada por uma grande quantidade de pessoas desenvolvedoras, por conta disso na hora de começar a desenvolver sua ferramenta fique ligado a algumas boas práticas. 

 

Caso a API seja confusa e não descritiva, seu uso poderá ser dificultado e isso fará com que as pessoas usuárias busquem outras soluções. Mantendo sua API bem estruturada e padronizada seu trabalho será mais utilizado. 

 

  • 1. Utilizar o padrão REST 

 

A falta de padronização pode ser um grande problema para uma equipe de desenvolvedores na hora do desenvolvimento de API. Por isso, ao invés de utilizar Endpoints com verbos, opte pelo padrão REST. 

 

Por exemplo, trocar “api/produto/criar_novo” por “api/produto”, com o método HTTP POST. Mais simples e dentro de um padrão amplamente utilizado, entretanto nem sempre a tradução para o REST se dará de maneira simples. Mas, tente ter uma base firmada. 

 

  • 2. Códigos de Status HTTP

 

Assim que uma pessoa desenvolvedora realizar uma requisição para o servidor a partir de uma API, ela deve receber um feedback desta requisição – seja ele negativo ou positivo. E caso a requisição tenha falhado é preciso informar o motivo da falha. 

 

Essa é exatamente a função dos códigos de status HTTP, por exemplo:

 

2xx (Sucesso)

 

Códigos que iniciam com o número 2 significam que a requisição foi recebida e processada com sucesso pelo servidor. Por exemplo:

 

201 – Created: significa que determinada instância foi criada com sucesso.

 

4xx (Erro no lado do cliente)

Códigos que iniciam com o número 4 significam que o cliente fez uma requisição de maneira errada à API. Um exemplo de código de status desse tipo abaixo:

 

404 – Not Found: indica que o recurso requerido pelo usuário não está disponível ou não existe.

 

5xx (Erro no servidor)

Códigos que iniciam com o número 5 significam que a requisição foi feita de maneira correta pelo usuário, entretanto, algo de errado aconteceu com o servidor. Por exemplo:

 

500 – Internal Server Error: indica que a requisição é válida, porém ocorreu um erro inesperado no servidor.

 

  • 3. Padronização de escrita do código

 

Padronização é a palavra que uma pessoa desenvolvedora precisa ter em mente na hora de criar uma API, para uma boa escrita e legibilidade isso não é diferente: padronize sua escrita do código.

 

E é aconselhável que todas as pessoas do seu time adotem o mesmo padrão de linguagem para escrita, evitando assim um código de difícil entendimento e bagunçado. 

 

  • 4. Filtros e paginações

 

Esses recursos estão presentes na maioria das APIs, por isso as pessoas desenvolvedoras precisam passar a forma como os filtros e paginações serão utilizados dentro da URL de requisição. Mas, como implementar esses recursos? 

 

  • Filtros: Uma boa prática para um filtro básico seria: GET/projects?order=responsible&like=skyone
  • Paginações: se a quantidade de dados é muito grande, uma boa prática é dividi-los em partes, ou seja, páginas. Exemplo: GET /projects?perPage=20&page=4

 

Tecnologias que ajudam o desenvolvimento de API

 

Outra opção é contratar o serviço de uma plataforma iPaaS que integra todos os sistemas, como o Integra.Sky. Assim, não é necessário gastar tanto tempo criando novas funcionalidades e aplicações. 

 

A plataforma de integração como serviço iPaaS é um conjunto de ferramentas automatizadas para conectar aplicativos de software que são utilizados em diferentes ambientes, como a nuvem e sistemas instalados localmente.

 

Fazendo desta a melhor opção para fazer a integração de Sistemas Desktop e SaaS de maneira rápida e eficiente, sem precisar ter dor de cabeça de produzir APIs complexas.

 

Com o Integra.Sky você conecta sistemas, softwares, aplicativos e automatiza dados e processos da sua empresa em uma única plataforma. Garanta escalabilidade, segurança e agilidade para as suas integrações complexas, independente da área do seu negócio.

A equipe do Integra.Sky ainda oferece a opção de contratação do onboarding, mapeamento de construções e integrações e de treinamento para uso da aplicação. A tecnologia exige baixa aprendizagem, o que a torna mais acessível aos membros do seu time. 

Utilizar uma plataforma de integração para automatizar a troca de dados entre sistemas diminui a quantidade de erros e agiliza processos!

Entenda como funciona na prática aqui: Integra.Sky. 

 

Escrito por

Equipe Sky.One

Este conteúdo foi produzido pela equipe da SkyOne, composta por especialistas em nuvem e transformação digital.