A nuvem pública já é considerada, há muito tempo, o ‘alicerce’ fundamental para a transformação dos processos de negócios. Sua flexibilidade e seu baixo custo, somados à facilidade de implantação, a tornaram um componente-chave para qualquer iniciativa de TI. Não é à toa que, segundo a consultoria IDC, os gastos com serviços de cloud computing pública estão previstos para chegar a mais de US$ 195 bilhões em 2020.

Isto é o mais do que o dobro dos gastos previstos para 2016, de US$ 96,5 bilhões. O relatório ‘Worldwide Semiannual Public Cloud Services Spending Guide’, publicado recentemente, também mostrou que esta cifra representa uma Taxa de Crescimento Anual Composta (CAGR) de 20,4% entre os anos de 2015 e 2020. No post de hoje, falaremos sobre as conclusões feitas pela IDC nessa pesquisa. Acompanhe:

O software em nuvem versus o tradicional

Ao longo dos próximos cinco anos, a utilização do software em nuvem vai superar a do software tradicional, que requer o pagamento de licenças e a hospedagem em infraestrutura de TI local. Nesse período, o software baseado em cloud computing também crescerá quase três vezes mais rápido do que a própria indústria de software, tornando-se assim um importante ‘motor de crescimento’ para todos os segmentos desse mercado.

Até mesmo os fabricantes, que resistem às mudanças e demoram para adotar novas tecnologias, já estão considerando a ideia de deixar de lado o ERP tradicional e migrar para um sistema baseado em cloud. A pesquisa realizada pela IDC também mostrou que, em 2020, o software em nuvem representará mais de um quarto de todos os softwares vendidos, e será responsável por boa parte dos gastos com nuvem pública.

A alavancagem dos gastos com IaaS e PaaS

Em 2015, os três principais segmentos do mercado de software – Aplications as a Service, AD&D (Application Development and Deployment) e SIS (System Infrastructure Software) – foram responsáveis por 83,7% dos gastos com nuvem pública. O IaaS (Infrastructure as a Service) foi responsável pelos 16,3% restantes. Mas a IDC prevê que as receitas de IaaS e o PaaS (Platform as a Service) irão crescer a uma taxa mais rápida do que as do SaaS.

O crescimento das receitas ao redor do mundo

De acordo com a IDC, os Estados Unidos serão o maior mercado de serviços de nuvem pública, gerando cerca de dois terços das receitas totais em todo o mundo. Os outros dois principais mercados serão Europa Ocidental e Ásia/Pacífico (excluindo o Japão). Todas as regiões incluídas na pesquisa experimentarão um crescimento de receitas superior a 100% nos próximos cinco anos, sendo que a América Latina terá a maior alavancagem.

Todo esse crescimento deverá ocorrer porque a cloud está quebrando as barreiras tecnológicas tradicionais. Além disso, os gestores não estão encontrando outra tecnologia que ofereça a mesma flexibilidade, velocidade e baixo custo que a nuvem. É por isso que um número cada vez maior de empresas, de todos os setores, continuará deixando de lado sua infraestrutura de TI legada e migrando para a cloud até 2020.

O que achou do nosso post? Se quiser nos contar sua opinião, dúvida ou experiência, aproveite o campo de comentários abaixo![:]

Escrito por

Equipe Sky.One

Este conteúdo foi produzido pela equipe da SkyOne, composta por especialistas em nuvem e transformação digital.