Um dos principais benefícios da computação em nuvem é a redução de custos, entretanto para ter certeza que o investimento realizado na migração está dando certo é preciso ações prioritárias: o planejamento, gerenciamento de custos e a melhoria contínua.

De certa forma, ocorre uma tendência, principalmente no início dos projetos, que aconteça de forma natural, o excesso de consumo dos recursos da nuvem. Isso porque a facilidade de inclusão de ativos de tecnologia e serviços, de forma automática e segura, nos leva a utilizar a infraestrutura computacional sem que ocorra uma análise prévia quanto a necessidade e custos.

Portanto, o objetivo aqui é descrever a importância para as empresas em realizar o gerenciamento de custos da infraestrutura utilizada na nuvem, uma vez que atualmente já se tornou uma prioridade o consumo inteligente dos recursos e serviços de tecnologia disponíveis.

>> Saiba mais: Por que os especialistas dizem que a adoção da cloud é inevitável.

Os primeiros passos para o gerenciamento de custos na nuvem

Vamos começar com o básico. O primeiro passo para alcançar o gerenciamento de custos inteligente é a conscientização. É preciso que fique claro, reduzir recursos de tecnologia não significa por em risco a infraestrutura de TI da empresa, é buscar a otimização e verificar o consumo em excesso.

A chave para reduzir o consumo excessivo e ter sucesso no gerenciamento de custos é monitorar e auditar cuidadosamente o uso, procurando recursos órfãos, subutilizados ou superestimados. Ter um inventário da infraestrutura computacional utilizada e ferramentas de análise integradas ao ambiente de nuvem são as melhores formas de alcançar esse objetivo.

>> Saiba mais: 7 dicas para a otimização de custos da nuvem AWS

Quanto a escolha de ferramentas, é possível buscar opções nativas, a exemplo da AWS Cost Management ou soluções integradas como a Sky.Saver da Sky.One. Todas elas têm como prioridade áreas estratégicas em seu processo de análise:

  • Custos
  • Otimização,
  • Segurança,
  • Tolerância a falhas,
  • Desempenho.

É possível com esse tipo de análise verificar pontos importantes que tendem a aumentar o custo da infraestrutura de nuvem:

  • Baixa utilização da CPU,
  • Balanceadores de carga ociosos,
  • Volumes de armazenamento subutilizados,
  • Endereços IP sem uso,
  • Entre outros exemplos.

Além disso é possível verificar através da análise do histórico, que tipo de instâncias de servidores apresentam cargas estáveis, que tendem ao baixo consumo ou que não justifiquem seu uso.

>> Saiba mais: Ampliando a inteligência de negócios através da nuvem.

O design da infraestrutura ajuda no gerenciamento de custos

Projetar a infraestrutura com conhecimento da arquitetura a ser utilizada na nuvem é a maneira mais eficaz de minimizar os custos no longo prazo, sem gastar demais ou atingir limites de uso. Isso significa que uma estratégia de implantação abre a perspectiva das empresas para a inovação e a concorrência de mercado.

Nenhuma empresa quer desperdiçar dinheiro, portanto, o gerenciamento de custos e o uso inteligente da infraestrutura são uma prioridade. No entanto, também é importante lembrar que a execução de recursos na nuvem nem sempre é um exercício de minimizar custos apenas por uma economia financeira. Trata-se de aumentar a agilidade, a inovação de TI, otimizar os processos produtivos e principalmente aumentar a satisfação de clientes.

Sua empresa está buscando o gerenciamento de custos da nuvem de forma inteligente? Continue nos acompanhando em nosso blog e através das redes sociais e saiba mais.

Escrito por

Equipe Sky.One

Este conteúdo foi produzido pela equipe da SkyOne, composta por especialistas em nuvem e transformação digital.