Com o crescimento da empresa, é natural que os processos se tornem mais burocráticos e complexos, sendo provável que a área de TI passe a  ter dificuldade para escalar sua operação junto ao crescimento da organização. 

Neste cenário, com o aumento de sistemas e do consequente trabalho manual para passar informações de uma área para outra, muitas vezes percebe-se essencial contar com a integração de sistemas, de modo a conectar os dados do negócio, evitando processos internos ineficientes e mais caros que o necessário.

A integração de sistemas consiste no processo de conectar diferentes sistemas ou softwares para cooperarem, funcionando como um sistema único através do compartilhamento de dados e informações. 

Em resumo, tudo flui perfeitamente entre todos os sistemas da companhia, reduzindo a complexidade e o tempo gasto nas operações.

Com a integração de sistemas, todas as funções ao longo da cadeia de processos de negócios podem ser reunidas, otimizando a produtividade da organização devido ao melhor fluxo de informações. 

Leia este conteúdo até o final e entenda porque é tão importante implementar a integração de sistemas e garantir que ela funcione na sua empresa.

Leia também:

iPaaS: o que é, como funciona e por que considerar o investimento

Low Code: entenda o que é e quais as vantagens para o time de TI

Por que a integração de sistemas é importante?

Como cada software é programado com uma codificação diferente, a integração de sistemas atua como um intermediário que traduz os dados de cada software nos bastidores. Isso garante que todos os componentes trabalhem juntos, em harmonia, para preservar a produtividade.

As trocas de informações mais usadas incluem os dados de clientes, pedidos, informações de contas a pagar ou receber, etc, possibilitando, por exemplo, integrar todos os sistemas, desde um CRM com o ERP, até a plataforma de e-commerce com o sistema fiscal. Com isso, as áreas da empresa passam a ficar mais conectadas. 

No fim, fica fácil perceber que a integração é essencial para facilitar a comunicação entre esses sistemas geralmente distantes um do outro, que normalmente não se comunicam.

Além dessa vantagem, conheça a seguir os outros benefícios que tornam a integração de sistemas tão importante para qualquer negócio.

Benefícios da integração de sistemas

1. Evita o trabalho duplicado e erros manuais

Conseguir integrar sistemas pode ser fundamental no ganho de tempo dos funcionários, já que diminui os trabalhos manuais, aumentando assim a produtividade.

Só que ele ainda vai além: o ganho mais importante é a redução de custos. Lembre-se que com a integração, os dados são transferidos automaticamente entre os sistemas, resultando em fluxos de trabalho automáticos, garantindo melhor eficiência nos processos e reduzindo drasticamente também as margens de erro.  

2. Capacidade de monitorar o desempenho do negócio

Com dados armazenados em diferentes sistemas e aplicações, se torna inviável uma análise assertiva do desempenho do negócio. 

Por sua vez, a coleta de todos os dados em um sistema central otimiza essa análise, garantindo a confiabilidade das informações e aumentando o seu valor agregado.

Um exemplo claro é a conexão entre todos os sistemas com o seu ERP, que passa a garantir ao administrador uma visão mais completa do negócio. 

A partir da integração de sistemas, os gestores conseguem administrar todo o volume de informações mais facilmente e obter insights importantes para a tomada de decisões, fazendo uso, inclusive, de uma única interface, o que otimiza tempo e contribui para sua produtividade.

3. Melhora a tomada de decisão

Outra vantagem é a capacidade de utilizar dados precisos e complexos de forma automatizada, fornecendo uma  visão 360° da organização

Decisões melhores e mais precisas serão tomadas a partir deles, o que permite que as organizações cresçam e reduzam os custos.

4. Alternativa para a substituição do sistema legado

A integração de dados de sistemas legados com sistemas modernos permite que as organizações continuem trabalhando com eles e sigam avançando na transformação digital.

Importante destacar que as duas principais formas de realizar a integração entre sistemas legados são: 1) utilizando API (Application Platform Interface) ou 2) utilizando um iPaaS (Integration Platform as a Service)

A API consiste em uma interface de programação que tem por objetivo realizar a integração de sistemas, permitindo o compartilhamento de dados (informações) e funcionalidades (processos) de forma automatizada. 

Na prática, contudo, essa opção apresenta alguns desafios, percebidos principalmente quando consideramos sistemas legados. Isso acontece porque muitos softwares on premise não dispõem de uma API, impossibilitando esse tipo de integração. 

Já a integração de sistemas legados através do iPaaS, por sua vez, vem ganhando cada vez mais aderência pelo mercado, que identificou na solução uma forma de garantir um serviço customizado para suas necessidades, apto a oferecer eficiência na integração de sistemas e dados locais com sistemas e dados na nuvem.

Assista o vídeo abaixo e descubra como utilizar uma plataforma de integração de sistemas pode contribuir para a maior produtividade do seu negócio:

→ Leia também: Como a falta de integração de sistemas pode afetar uma equipe

Como ocorre a integração de sistemas?

No passado, a integração de sistemas costumava ser uma tarefa complexa. Sistemas e aplicativos de diferentes provedores exigiam uma solução de integração ponto a ponto, contando com configurações complexas e codificação personalizada.

Esse formato provou ser inflexível e frágil, além de exigir manutenção constante já que cada atualização de software ou mudança no processo, podem quebrar todo o sistema integrado.

Hoje em dia, as soluções de integração mais robustas são uma realidade. Isso possibilita que novas tecnologias, como nuvem, big data e IoT se comuniquem rapidamente entre si e com os sistemas atuais.

Com uma boa plataforma iPaaS, têm-se como ganhos internos a gestão centralizada de todos as integrações entre os softwares do negócio, com o processamento de dados em tempo real, mitigando tempo gasto com retrabalhos, perda de dados e instabilidades do sistema. 

O tempo extra permite à equipe, ainda, se ocupar com questões mais estratégicas do negócio como otimizar processos e melhorar seus desempenhos.

As integrações podem ocorrer de duas formas:

  • Unidirecional, seguindo um único sentido, ou seja, com um sistema enviando informações para outro mas não recebendo nada dele.
  • Bidirecional, que funciona nos dois sentidos, enviando dados entre si.

Mesmo com essa divisão, existem alguns tipos de integração distintos que serão vistos a seguir.

Tipos de integração de sistemas

As empresas que buscam implementar o compartilhamento de dados entre seus softwares devem considerar os diferentes tipos de integração de sistemas e como eles podem otimizar seus fluxos de trabalho.

Além do escopo dos projetos de integração, que variam de tamanho e complexidade, também existem diferentes tipos de conexão entre sistemas, que incluem: 

  • Via API: o processo de integração mais comum é através de API. Embora existam várias subcategorias de API, incluindo pública e privada, todas elas têm o objetivo de fazer essa conexão de sistemas. Ao estabelecerem essas interconexões usando uma linguagem de código comum, os sistemas podem transmitir dados entre eles;
  • Integração do sistema legado: conforme discutimos na seção anterior, a integração do sistema legado permite que a organização conecte sistemas legados a outros sistemas mais novos; 
  • Via banco de dados: essa é uma opção na qual é feito o compartilhamento de um mesmo banco de dados entre sistemas diferentes. Para funcionar, é usado um software de extração de dados;
  • Integração via Big Data: esse tipo é essencial em qualquer projeto de Big Data. Permite a integração de dados de várias fontes e de diferentes formatos. Assim você consegue que todos os dados sejam combinados em uma única visualização para serem usados ​​para relatórios e análises.  
  • Integração com serviços na nuvem: conecta vários aplicativos, sistemas e bancos de dados para serem integrados em serviços na nuvem, permitindo o acesso por vários dispositivos em uma rede ou conectado à internet.

Como garantir a melhor integração de sistemas para a sua empresa?

Chegando até aqui, você já percebeu que as empresas que não contam com uma integração de sistemas adequada podem enfrentar vários riscos. 

Mas na prática, a integração de sistemas pode ser um desafio se for realizada de forma obsoleta, sem o apoio de uma plataforma de integração. 

Projetos de integração que dão errado ​​podem ter consequências de longo alcance, até mesmo resultando em conexões que barram a estrutura de TI.

O desafio de integração mais comum gira em torno de duas ou mais partes trabalhando juntas. Isso pode resultar em falta de comunicação, responsabilidades pouco claras, discussões sobre o que de fato precisa ser integrado. Outros desafios que podem dificultar o processo incluem:      

  • trocas repentinas de sistemas; 
  • a integração pode resultar em um projeto complexo;
  • encontrar funcionários que possam lidar com os projetos de integração; e
  • complexidades de integração girando em torno de APIs. 

Dificilmente o desenvolvimento de customizações ficará tão bom quanto uma solução focada em uma funcionalidade específica. 

Por isso, para garantir que contará com a melhor integração de sistemas para sua empresa, a dica é contar com o apoio do nosso iPaaS (Integration Platform as a Service), o Integra.Sky! 

Conheça o Integra.Sky

O Integra.Sky é um iPaaS desenvolvido para conectar sistemas em nuvem (SaaS), na infraestrutura (On Premise) ou legados utilizando arquitetura moderna e segura. 

Com a plataforma, você consegue automatizar processos do seu negócio integrando softwares e sistemas.

A partir de arquiteturas modernas, desenvolvemos uma plataforma que utiliza APIs para garantir uma integração simples e segura. Ela atende 7 pilares fundamentais para sua operação:

  • Segurança e Criptografia: os mecanismos de comunicação, autenticação, criptografia e auditoria disponíveis no Integra.Sky garantem a aderência das integrações às melhores práticas de segurança e conformidade. Além disso, está em conformidade com os requisitos da LGPD;
  • Monitoramento: o operador pode verificar o sucesso de cada uma das etapas de um fluxo de comunicação e também é alertado automaticamente quando algum processo falhou;
  • Padronização técnica: o desenvolvedor de sistemas tem a oportunidade de criar fluxos de integraçãode maneira rápida e segura, expondo ao mundo um formato padronizado e seguro de interconexões através de interfaces RESTful;
  • Confiabilidade: a solução é baseada em uma arquitetura distribuída e escalável que permite acomodar variações de carga com segurança e confiabilidade;
  • Velocidade da integração: disponibiliza diversos módulos básicos sobre os quais as integrações podem ser construídas. Dessa forma, diversos fluxos podem ser criados sem a necessidade de qualquer código, reduzindo o tempo necessário para construí-los;
  • API para cliente-servidor: os softwares podem oferecer APIs modernas para o mundo, mesmo que ainda não as tenha disponível de forma nativa. Isso é possível, pois o Integra permite que sejam construídas interfaces públicas em formato REST que podem ser mapeadas em outras ações que o ERP possa processar.
  • Replicabilidade: o modelo suportado pelo Integra.Sky permite que uma integração seja rapidamente replicada para todos os clientes que utilizam os softwares envolvidos.

 

O Integra.Sky é a solução completa para a empresa que precisa fazer a integração de sistemas sem demandar desenvolvimento interno ou para o fabricante do software que você utiliza, que pode disponibilizar a integração de forma ágil e simplificada. Esse é o seu caso? Então saiba mais sobre essa solução!