O modelo pós-moderno de Sistema de Gestão Empresarial ERP (Enterprise Resource Planning) tem se tornado cada vez mais uma realidade dentro das empresas, porém sua aplicação requer um nível sem precedentes de integrações entre diferentes programas, sendo, em sua maioria, em modelos Software como um Serviço, do inglês SaaS (Software as a Service).

Estão disponíveis API’s, entretanto uma integração de sistemas legados efetiva entre um Cloud ERP e quaisquer serviços externos requer muito mais que somente API’s. Grandes empresas conseguem arcar com os altíssimos custos de suas integrações e com os altos gastos de manutenção. Este modelo, no entanto, não é realista para o mercado de pequenas e médias empresas. 

Acompanhe este artigo e saiba mais sobre a integração de sistemas em pequenas e médias empresas!

Integrar sistemas legados em pequenas e médias empresas

Como sabemos, o real valor de suas informações só se torna tangível quando elas podem ser processadas, analisadas e aplicadas buscando aprimorar as operações da sua empresa.

No mundo de hoje, nem os mais avançados e completos ERP’s alegam ter tudo que os consumidores buscam, quiçá uma única ferramenta. A proliferação de soluções inteligentes, feitas pelos fabricantes independentes de software, está introduzindo uma nova camada de valor sobre as ferramentas de gestão atuais, alterando completamente a forma como grande parte das empresas escolhem seus softwares.

 

Clientes passaram a pedir ERP’s que integrem com suas próprias aplicações externas, ao contrário do que ocorria anteriormente, quando se contratava o sistema de gestão empresarial e posteriormente ocorria a busca por ferramentas complementares. Tais ferramentas se tornaram o carro chefe dessas empresas e são o centro responsável pela sua transformação digital. O problema aparece quando existe a necessidade de utilização de várias aplicações.

Considere, por exemplo, que você tenha desenvolvido um novo processo para interagir com seus clientes e prospects, que dependa da sua plataforma de CRM (ex: Sales Force ou Pipe Drive). Você sabe que também deve interagir com seus prospects por meio de conteúdo, promoções e indicadores de performance (KPIs), levando ao contato direto com eles.

Uma plataforma de conteúdo digital, tal como a Hubspot, é ótima para tal finalidade. Nos próximos estágios, quando um negócio é fechado, as informações são enviadas diretamente para os setores de contabilidade e produção, que é controlado por um sistema ERP, como o **SAP Business One**.

Este é um cenário básico para uma empresa de pequeno porte, mas quão desafiador seria aplicá-lo em uma empresa com uma linha de produção de alta demanda? Seria necessário uma integração entre o ERP, CRM e a ferramenta de Marketing Digital utilizada. 

Em todos os casos apresentados acima, as API’s já existem, de modo que o processo de integração de sistemas legados não seria tão complexo. As APIs, no entanto, somente determinam como os dados serão acessados, o que é obrigatório, porém não é o suficiente para orquestrar o funcionamento da integração. Vamos adicionar um novo passo ao processo no tópico seguinte!

Exemplos de integrações de sistemas em empresas

Suponha que você queira que os prospects que tenham atingido um certo nível de engajamento em sua plataforma de marketing digital sejam enviados ao sistema de CRM para um contato direto. Dependendo das informações coletadas durante a ligação, o prospect pode ser categorizado para a linha de nutrição de leads no sistema.

Em outras palavras, você precisa definir exatamente qual o resultado quer atingir por meio da integração de sistemas legados, quais processos e ferramentas você gostaria de automatizar.

Uma vez definido o que será integrado, você deve alimentar o fluxo de informações entre as duas aplicações. Prospects vindos da plataforma de marketing digital são levemente diferentes daqueles contatos registrados no CRM, logo, as informações coletadas devem ser mapeadas e adaptadas antes de enviadas de um sistema ao outro.

Considere também que o software indica quando as informações devem ser enviadas, mas, em alguns casos, o momento certo não fica tão visível e precisamos continuar buscando novas informações.

A flexibilidade e as oportunidades de uma integração de sistemas legados requer a tomada de importantes decisões envolvendo negócios e aspectos técnicos de duas plataformas. Essa tarefa pode ser intimidadora para empresários de pequeno e médio porte que buscam serviços básicos de automação.

Até então, a única solução era a imersão de consultores especializados que precisam imergir dentro das operações do cliente para definir o que funcionaria melhor em cada cenário apresentado. Esse engajamento representava perda de tempo e de verbas, levando a resultados fracos em clientes que não estão preparados tecnicamente para direcionar o processo de integração de sistemas legados.

Integrações devem ser fornecidas como produtos inovadores. Hoje, qualquer integração é feita de forma customizada, atendendo as necessidades em situações únicas. Elas seguem medidas específicas de cada consumidor, porém necessitam de tempo e costumam ser consideravelmente caras, tornando-as injustificáveis ao investimento.

Grande parte das pequenas e médias empresas preferem adquirir sistemas prontos e mais baratos, como os vendidos por empresas de tecnologia ou lojas de informática. Tais programas podem não ser adequados para todos, mas bons o suficiente para o consumidor cotidiano. O mercado de integração de sistemas legados não possui tal abordagem customizável e esse é exatamente o objetivo de trabalho da Sky.One. 

O Integra.Sky é o iPaaS desenvolvido pela Sky.One para conectar sistemas em nuvem (SaaS), na infraestrutura (On Premise) ou legados, utilizando o que há de arquitetura mais moderna e segura no mercado. Com a nossa plataforma é possível automatizar todos os processos do seu negócio ao integrar sistemas e softwares.

Leia também:

Integração de sistemas: saiba como funciona, principais tipos e sua importância

Festa junina 100% virtual: integração de sistemas conectando pessoas