O setor de varejo passou por muitas transformações nos últimos anos, modificando as formas de atuação devido aos novos adventos tecnológicos e postura do consumidor. Com a inteligência artificial no varejo, por exemplo, as estratégias pensadas para atrair e atender os clientes se aperfeiçoaram, permitindo que as marcas se destaquem no segmento.

Isso porque a IA (Inteligência Artificial) é uma ferramenta muito importante para a otimização de tempo, aumentando o poder de competitividade do negócio e minimizando falhas.

Atualmente, diversas atividades do cotidiano estão diretamente relacionadas à tecnologia e à própria inteligência artificial. 

No mundo dos negócios essa integração não seria diferente, na verdade, sendo intensificada para atender as necessidades do público, visto que proporciona experiências personalizadas e mais efetivas.

Marketing, mecanismos de buscas, compras, tudo é baseado na IA para executar um trabalho de qualidade e em tempo hábil.

Por esse motivo, os profissionais do segmento varejista que visam alta performance utilizam esta tecnologia para os planos de mitigação, algo que ajuda a tomar decisões assertivas e que diminuem os riscos.

Entendendo melhor a inteligência artificial

A IA é basicamente um avanço tecnológico que proporciona mais autonomia para as máquinas.

Isto posto, os sistemas e ferramentas conseguem replicar uma “inteligência” muito semelhante à humana para realizar atividades repetitivas, de cálculos e identificação de padrões, bem como que lidam com muitas informações.

Para que isso ocorra é preciso que haja a aplicação do Machine Learning e alguns padrões para adequação das máquinas, bem como programações adequadas para que ela responda conforme a necessidade do negócio.

Assim, os equipamentos podem ir além das funções programadas e ter autonomia para ajudar nas decisões importantes, como por meio de informações melhores embasadas, de forma autônoma.

O que é a Inteligência Artificial

O termo Inteligência artificial surgiu na década de 60 e desde então pesquisadores desenvolveram tecnologias importantes para otimizar cada vez mais as rotinas humanas e melhorar o funcionamento da máquina, como uma excelente aliada de ações estratégicas, por exemplo, de modo que os funcionários pudessem centrar seus esforços em ações mais rentáveis e de inteligência.

Consequentemente, nos últimos anos os resultados estão sendo aproveitados no dia a dia de empresas e da sociedade como um todo, com o uso de máquinas inteligentes que melhoram processos de compras dos insumos, o relacionamento com os clientes e fornecedores, vendas e pós-venda, marketing, bem como a rotina por meio das assistentes virtuais.

Ou seja, a implementação da IA no varejo se tornou um ponto importante na evolução tecnológica, possibilitando ter armazéns mais inteligentes, experiências omnichannel, máquinas com capacidade de criar conexões, mercados automatizados e outros ganhos que transformam o modo de atuação deste setor.

Por que investir na Inteligência Artificial no varejo?

Devido à evolução tecnológica, a automatização de processos nas empresas teve um aumento considerável, melhorando a eficiência das funções empresariais e os fluxos de serviço, para produtos de mais qualidade em menos tempo ou prestação de serviços de forma mais eficiente e otimizada. 

Existem diversas vantagens competitivas que podem ser aproveitadas com os investimentos em IA, por exemplo, o gerenciamento pode ser facilitado, processos operacionais agilizados e análises de dados podem ocorrer com mais qualidade e rapidez, sendo que esses são apenas alguns dos pontos positivos.

Com tais vantagens, o varejo consegue melhorar toda sua rotina, permitindo a aplicação de estratégias e melhorias como:

1) Identificação de tendências e padrões comerciais

O armazenamento de dados estratégicos é um dos grandes trunfos da inteligência artificial. 

A coleta e tratamento dessas informações permite que os profissionais analisem efetivamente qual o comportamento da audiência e suas preferências, por meio de devoluções de produtos ou do aumento da venda de um artigo, por exemplo. 

Consequentemente, é possível descobrir e até prever quais são e quais serão os padrões e tendências de mercado.

Este processo não diz respeito apenas ao segmento em que a empresa está inserida, ou seja, consegue mostrar tendências paralelas e diversas mudanças no comportamento e consumo da sociedade.

Com os resultados das análises é possível criar novas linguagens, produtos e estratégias importantes para o sucesso da varejista.

2) Otimização da experiência do cliente

O uso da inteligência artificial no varejo possibilita um relacionamento mais personalizado com o cliente.

Com a captura de dados, os varejistas podem entender melhor as necessidades e o histórico de compras, além das preferências de produtos, oferecendo novas oportunidades, a renovação de um serviço em tempo hábil ou até mesmo o recebimento de um produto que pode estar acabando.

Deste modo, os profissionais podem oferecer uma experiência personalizada, com excelência, priorizando o que a pessoa deseja, mas sem deixar de lado a efetividade, inteligência e estratégia.

Inclusive, os atendimentos para dúvidas e conclusão de compras também podem ser otimizados e agilizados, como ocorre com a aplicação de chatbots.

3) Melhor gerenciamento de estoque e produtos expostos

A IA na área do varejo permite que as empresas tenham uma visão muito realista do ambiente e de toda a logística/infraestrutura do comércio. 

Isso significa que é possível ter câmeras e sensores que identificam os produtos presentes no estoque e gôndolas, bem como estoques inteligentes que contabilizam saídas e entradas, datas de validade, dentre outros aspectos determinantes para tomadas de decisão assertivas, como a criação de uma promoção.

Ou seja, com esta visão mais aprofundada, os funcionários podem criar estratégias específicas para a gestão do varejo com informações atualizadas em tempo real, algo que permite atender melhor às demandas, facilita a visibilidade do estoque e preserva a eficiência das vendas.

4) Retenção estratégica de clientes

A retenção se torna mais precisa no varejo graças à inteligência artificial. 

No e-commerce, por exemplo, esta tecnologia torna o funcionamento dos sites mais simples, com uma navegação mais rápida. 

Além disso, a IA consegue coletar dados das pesquisas feitas e toda a interação do usuário com o site, considerando fatores que sejam importantes para concluir a compra, como prazo de entrega, condições de pagamento, preços e modelos dos produtos.

Com isso, ao finalizar a compra, o cliente pode se deparar com um pop-up que aparece na tela com sugestões de produtos ou mesmo orientações de uso, dentre outras ações possíveis. 

Conhecido popularmente como pop-up de retenção, há também a opção do recurso que consiste em uma janela com alguma foto do produto e um desconto ou valor promocional, no caso de carrinhos “abandonados”.

Esta técnica é veiculada no carrinho de compras, ou seja, possibilita oferecer novas promoções, algo que ajuda nas vendas.

O resultado dessa técnica costuma ser muito positivo, já que estimula os clientes a continuarem buscando produtos do seu interesse junto à loja, principalmente após receber a promoção, para concluir uma compra maior e que considere todas suas necessidades. 

Esta ação gera um maior volume de compras e eleva o ticket médio por pessoa.

5) Eficiência e agilidade nos processos

A automação de algumas etapas permite que os colaboradores tenham mais foco em outras atividades, algo que torna as ações mais estratégicas, gerando agilidade e eficiência na parte operacional e estratégica do varejo.

Mais ainda, todos os fluxos são agilizados com o uso das máquinas, que demandam apenas acompanhamentos pontuais.

Consequentemente, os motivos para investir na IA no varejo são muito interessantes para as vendas e colaboram diretamente para as estratégias de marketing, como o Inbound Marketing que passa a ser mais segmentado, além de ajudar na diminuição de custos.

Com o aumento do faturamento da empresa, é possível ter mais vantagem competitiva, desenvolver ainda mais o negócio e melhorar a imagem da marca.

Assim, os principais benefícios de aderir à IA no varejo são:

  • Melhora o armazenamento dos produtos;
  • Permite um controle e histórico dos itens e vendas;
  • Possibilita entender o comportamento do cliente;
  • Otimiza os processos de compra;
  • Permite um melhor gerenciamento do estoque;
  • Facilita a rotina de serviços dos funcionários.

Estes são apenas alguns dos benefícios em investir no uso da inteligência artificial no varejo, sendo uma excelente maneira de melhorar as vendas e o faturamento da empresa.

Marketing, a importância da IA e uso de softwares

O uso de softwares tecnológicos e da inteligência artificial permite que os varejistas otimizem processos, tornem as análises de dados mais simples e rápidas, além de possibilitar a implementação de ferramentas como chatbots e assistentes digitais.

Com tecnologias modernas, as empresas podem ter redução de custos, aumento considerável na produtividade, automação de processos, mais praticidade no controle de qualidade e melhora do marketing e comunicação.

Isso significa dizer que a inteligência artificial é muito útil para as marcas, visto que atua desde o atendimento do site, passando pelo controle do estoque, até a produção de conteúdos mais qualificados para estratégias de Marketing de Conteúdo, considerando todo o comportamento do potencial cliente para atrair novos consumidores e melhorar a interação com o público/relevância da marca.

A aplicação da inteligência artificial no marketing é uma ação estratégica muito vantajosa, visto que permite aos empresários conhecerem o comportamento e tendências de consumo dos clientes, como mencionado anteriormente.

Mas também é possível extrapolar ainda mais esse uso e analisar um grande volume de dados para interagir de forma profunda com os clientes, oferecendo uma experiência inesquecível. Para isso, outras aplicações da IA no marketing que contribuem como o varejo são:

1) Reconhecimento por voz

Esta é uma tendência da inteligência artificial com grande potencial de uso. Isso porque os algoritmos conseguem aprender frases, expressões e muitos recursos de linguagem para interagir com o usuário e direcionar pesquisas e produtos, podendo ser usados em chats – o que agrega vantagem na acessibilidade.

Com isso, as empresas varejistas podem utilizar o reconhecimento por voz em canais de atendimento, buscas e suporte ao cliente, por exemplo, melhorando a experiência do cliente, fidelizando-o.

2) Precificação de produtos

É possível utilizar a inteligência artificial para a precificação das mercadorias, algo que permite ter mais controle sob a lei da oferta e procura. 

Sites de passagens aéreas e vendas de livros, por exemplo, apresentam alta flutuação de oferta e procura. Assim, a IA pode ser uma grande aliada para bons resultados no varejo.

3) Desenvolvimento de anúncios 

A criação de campanhas publicitárias é uma ação muito comum no varejo, pois é por meio da divulgação dos produtos que o público pode conhecer melhor a empresa e comprar uma mercadoria.

Anúncios pagos para as redes sociais, por exemplo, são uma ótima estratégia para segmentar o público, tem ótimo custo-benefício e melhoram a credibilidade do negócio.

As plataformas Ads das redes sociais, como o Google Ads, Facebook Ads, Twitter Ads, Linkedin Ads e Youtube Ads, inclusive, já apresentam inteligência própria para criar campanhas mais efetivas para alcançar determinados objetivos junto ao público, melhorando os resultados obtidos.

Portanto, os investimentos em inteligência artificial são muito interessantes para aumentar as vendas, se destacar perante os concorrentes, conquistar espaço no mercado e tornar a sua empresa uma referência no varejo, além de tornar o consumidor o centro das atenções no seu negócio.

 

Artigo escrito pela equipe da Ideal Marketing, empresa que oferece um software completo de automação de Marketing Digital com metodologia inovadora para atender às mais diversas necessidades dos seus clientes.