Antes de tudo, para criar um software funcional, é importante garantir boas práticas de cibersegurança, que é algo imprescindível para quem mantém empresas em ambiente web. Dessa forma, implantar as melhores práticas de desenvolvimento seguro exige tanto o uso de ferramentas e técnicas, quanto a capacitação de colaboradores e usuários.

O uso de código seguro, por exemplo, é uma condição indispensável em qualquer empresa que utiliza softwares e sistemas de desenvolvimento. Entretanto, não basta só aplicar novas tecnologias de segurança. O próprio software precisa fechar as lacunas de risco. 

Aproveite para conhecer o case em que o cliente abandonou as formas obsoletas de segurança de dados e passou a priorizar os recursos modernos oferecidos pela Sky.One:

Agora, vamos conhecer as melhores práticas de desenvolvimento seguro, o que é um código seguro e como ele é produzido

Além disso, você irá aprender dicas de como aumentar a segurança de aplicações web (que não se resume a apenas utilizar o protocolo HTTPS, em conjunto com uma funcionalidade de login), e também aprenderá alguns passos importantes para garantir a proteção necessária no desenvolvimento de um software.

O que significa código seguro?

Em suma, a codificação segura é uma estratégia de antecipar a segurança na criação de um software, com práticas, processos e ferramentas específicas de prevenção

Logo, essa codificação pode ser elaborada para execução em dispositivos móveis, além de computadores pessoais, servidores e outras ferramentas relacionadas. 

Este recurso vem se tornando um padrão, especialmente em empresas de tecnologia que produzem softwares. Além disso, o código seguro também é usado como estratégia para criar apps e sistemas cada vez menos suscetíveis a bugs.

As vulnerabilidades podem ser variadas: autenticação insuficiente, ausência de criptografia, fragilidade na proteção contra códigos maliciosos e má configuração de servidores web. 

Sendo assim, umas das melhores práticas de desenvolvimento seguro, muito recorrente nesse sentido, é criar tipos de proteção só após a identificação de alguma possível vulnerabilidade.

Como aumentar a segurança de aplicações web

Certamente, ter um planejamento junto com a equipe de desenvolvedores é fundamental

Muitas empresas realizam uma abordagem de definição das estratégias de segurança sem o conhecimento de onde desejam chegar e sem alinhamento com os objetivos da instituição.

Elaborar um inventário de quais recursos a empresa utiliza, seja aplicativos, sistemas virtuais e dispositivos, é essencial. 

Assim, adquirimos uma visão mais ampla de como a organização trabalha com o uso de conexão em rede e com qual intuito. Dessa forma, fica mais fácil mapear pontos de risco e quais soluções devem ser encontradas.

Quanto maior a organização, maiores serão as chances de encontrar aplicações redundantes ou inúteis. O inventário, nesse quesito, será eficiente nos próximos processos. Então, busque investir pelo tempo que for necessário, a fim de coletar os detalhes de cada aplicação utilizada.

Vejamos a seguir alguns importantes recursos que podem culminar em melhores práticas de desenvolvimento seguro para softwares. Veja abaixo:

1. Teste Invasão

Aqui, os desenvolvedores fazem uma simulação de como seria o ataque ao software, também chamado de teste de intrusão, no qual alguns tipos de malwares, vírus e outros recursos maliciosos entram no sistema ou plataforma virtual. 

A partir do teste invasão são mensurados e classificados os riscos em quatro níveis crítico, alto, médio, baixo e, por meio de relatório, serão definidas as soluções. 

2. Controle de senhas

As senhas são códigos que podem ser facilmente roubadas ou lidas, sobretudo se forem elaboradas por associação a outros códigos ou documentos. É um erro comum entre a maioria dos profissionais e por isso é um ponto importante para aumentar a segurança de dados do negócio em que você atua. 

Especialistas sugerem que toda empresa tenha uma política de gerenciamento de senhas complexas, com, minimamente, 8 caracteres que incluem símbolos, diferenciação de letras maiúsculas e minúsculas, números, e com um prazo definido de uso. O risco aumenta se a mesma senha for usada em diferentes plataformas ou sistemas de autenticação.

3. Atualização e configuração de softwares

Cada ambiente e sistema exige configuração própria, e a constante atualização dos softwares garante recursos a mais na segurança de toda a rede que estiver conectada servidores, dispositivos, aplicações web. 

Dessa forma, é importante ainda configurar, de forma adequada, o software de ambiente de desenvolvimento, que é diferente do ambiente de produção.

4. Scanners de Vulnerabilidade

Nesse caso, a proteção é feita fazendo uso de softwares específicos que fazem varredura de computadores interligados em rede ou conectados à internet. O escaneamento é feito de forma constante, com testes atualizados que evitam o acesso a dados e arquivos. A verificação pode alcançar diferentes dispositivos servidores, notebooks, impressoras, firewalls, switches, máquinas virtuais.

Para saber mais, não deixe de conferir nosso outro artigo: 10 scanners de vulnerabilidade para você conhecer

Passo a passo para aplicar as melhores práticas de desenvolvimento seguro

Algumas dicas são importantes para definir quais as melhores práticas para promover a segurança do ambiente cibernético da sua empresa.

Para o desenvolvimento de um software com poucas falhas, é preciso pensar que sempre haverá brechas e hackers interessados em burlar o sistema

Então, os profissionais de TI deverão identificar quais serão os métodos de criptografia necessários, como os usuários serão treinados para garantir segurança do acesso e login e outras questões como, por exemplo, o licenciamento e uso de dados.

Outro ponto é a segurança da arquitetura e tipo de linguagem, bem como métodos de autenticação e envio de dados. Aqui, as certificações e documentações legais em conformidade com a Lei Geral de Proteção de Dados são uma exigência.

Entenda mais sobre a LGPD e como suas diretrizes influenciam nos processos de segurança no episódio #5 do Sky.Cast:

Além disso, devemos testar métodos de segurança diversos, sobretudo em blocos de código onde serão armazenadas informações sigilosas, a fim de garantir também que o produto final não apresente brechas fáceis. E, por fim, é necessário o monitoramento constante das aplicações web.

Proteja os dados do seu negócio com o Sky.Security

Em geral, O Brasil é um dos países que mais sofre com problemas de cibersegurança. Por isso, investir em segurança de dados é urgente e deve ser levado a sério. 

O Sky.Security é a marca de segurança da Sky.One! Plataformas e serviços para proteger os dados do seu negócio através da antecipação de ameaças, monitoramento contínuo e reações em tempo real às tentativas de ataque.

Portanto, o Sky.Security atua 24×7 e representa um investimento em inteligência e tecnologia para a proteção do seu negócio.

Sua TI mais estratégica e menos operacional, nossos profissionais são especialistas em cibersegurança. Com o nosso suporte, times de TI se tornam mais estratégicos e menos operacionais.

Quer bater um papo sobre cibersegurança? Acesse o nosso site e converse com um dos nossos especialistas.

Escrito por

Equipe Sky.One

Este conteúdo foi produzido pela equipe da SkyOne, composta por especialistas em nuvem e transformação digital.