A computação em nuvem tem proporcionado grande impacto nas empresas. De acordo com recente pesquisa do Gartner, 75% das organizações devem implementar um modelo de nuvem híbrida ou várias nuvens ainda em 2020, o que reforça o cloud como uma das principais tecnologias disruptivas para os negócios.

Além de transformar o funcionamento da TI e da gestão, a nuvem tem garantido um ganho estratégico e comercial para as empresas que realizam com sucesso a migração. Mas afinal, por onde começar quando o assunto é migração para a nuvem? Confira o passo a passo desse processo:

Mapeamento

A primeira etapa de um projeto de migração para a nuvem é entender o momento da empresa, no caso específico deste documento as empresas de Software, conhecida no mercado pela sigla “ISV” (Industry Software Vendor).

Identificando o estágio de maturidade do ISV , no qual se analisa a  expectativa dele com o resultado esperado em Cloud, e a visão do mercado que ela está inserida quanto ao interesse dos clientes com oferta em Cloud. É importante ter em mente que o objetivo não é somente ter as aplicações operando em nuvemmas sim que a empresa possa ter uma oferta SaaS (Software as a Service) do seu produto para o mercado, que traga benefícios para os seus clientes, além de eficiência operacional, uma receita e margem maior para com o ISV.

Definição da solução mais adequada

Após a compreensão das expectativas e o entendimento técnico entre as equipes, é hora de avaliar qual a solução mais aderente para o negócio, levantando assim os primeiros parâmetros de informação da aplicação legada. Através de plataformas como o Auto.Skypor exemplo, é possível levar todo o ambiente legado para nuvem de forma personalizada.

Definição do tipo de serviço

Com base nessa avaliação, o próximo passo é apresentar ao ISV os benefícios dos tipos de serviço em nuvem a serem adotados. Uma oferta em SaaS – na qual é executado em um servidor remoto sem a necessidade de instalá-lo localmente -, pode ser uma opção com grande potencial.

Homologação da aplicação

Tendo entendimento de que existe um mercado potencial a ser trabalhado com base no modelo de SaaSé hora de iniciar o processo de homologação da aplicação, na qual são testadas todas as funcionalidades da aplicação em nuvem com o objetivo de garantir a melhor experiência do cliente final no novo ambiente.

Criação da oferta e OnBoarding

Ao concluir a homologação é realizada a precificação, a apresentação da oferta SaaS, a assinatura do contrato e, por fim, o processo de “onboarding” desse parceiro. Aqui na Sky.One, nesta etapa, entram em cena equipes profissionais de marketing e vendas para apoiar a empresa não apenas na capacitação comercial, mas também na criação da oferta, com a disponibilização de um ambiente Demo para que possa ser apresentada ao mercado.

Levando seu software para a nuvem

A importância do parceiro especializado

Vale lembrar, que uma empresa até consegue migrar sozinha para a nuvem, através de um virtualizador. No entanto, os riscos são altos e o esforço é grande, o nível de conhecimento necessário também pode ser um obstáculo desafiador. É importante contar com uma equipe munida de conhecimento de infraestrutura em nuvem para que possa não somente sustentar esse ambiente, mas também extrair o máximo de otimização para potencializar a eficiência e a economia.

Além disso, uma companhia especializada nesse tipo de migração garante escalabilidade, já que a plataforma auxilia nessa gestão unificada e torna-se responsável por todo o processo, como, por exemplo, os inúmeros periféricos do mercado (Certificados Digitais, impressoras fiscais), e as integrações com outros sistemas (Folha, NFe). Dominar essas variáveis é fundamental para aprimorar a experiência do cliente final, e eliminar riscos de uma migração mal sucedida.

A introdução de um novo produto, não tendo a entrega satisfatória, pode levar o NPS da empresa a índices baixos, o que pode comprometer o futuro da manutenção dos clientes e, consequentemente, o cancelamento de um contrato. A insatisfação de um cliente pode ser agravada quando ecoada por outros clientes, já que afeta toda a credibilidade da nova oferta no presente e futuro. Não vale a pena correr esse risco.

O diferencial do broker especializado

Contar com um broker atuando como parceiro, passa a ser um diferencial competitivo. Aqui na Sky.One operamos como um parceiro de negócio, o que permite à empresa (ISV) continuar focada em seu core business: o desenvolvimento do ERP. Desta forma, atuamos como um sócio, com a responsabilidade de garantir a melhor experiência de sustentação da infraestrutura para cliente, além de otimizar o ambiente constantemente por meio de profissionais certificados e dedicados a esse tipo de operação.

Dependendo da maturação tecnológica da empresa, é possível realizar todo o processo migratório de forma rápida. Hoje, grande parte das empresas de software conseguem migrar o seu sistema para nuvem e, caso a companhia faça parte da minoria que está impossibilitada, é viável identificar os pontos de transformação de maneira rápida e ágil para que a empresa consiga se adaptar. Mais do que tempo, o importante é prezar pela eficiência, a experiência final do usuário com a plataforma e a sua satisfação, tanto na performance do ambiente como em sua disponibilidade.

Uns dos valores mais fortes da Sky.One são parceria e inovação, pilares refletidos em nosso modelo. Não comercializamos nada aos nossos parceiros, e sim criamos ofertas conjuntas para levarmos ao mercado. O grande intuito é disponibilizar soluções inovadoras que possibilitem que as empresas ganhem eficiência operacional, aumento da margem de lucro e, principalmente, a satisfação dos seus clientes.

Agora que conheceu as etapas, você está pronto para iniciar sua jornada com a Sky.One? Clique aqui e conheça as empresas que já migraram para nuvem conosco.

 

Leia também:

Auto.Sky: migrando seu software para a nuvem com a Sky.One