A definição de software na nuvem pode ser tão ampla quanto qualquer parte de um programa rodando fora da sua infraestrutura local. Com a nuvem se tornando a buzzword que é hoje, falsas expectativas são geradas – o que resulta em muita frustração ao construir a jornada de evolução do seu ERP.

Normalmente, o ERP fica em um dos últimos lugares na lista de prioridades da maioria das organizações quando o assunto é sobre quais soluções migrar primeiro para a nuvem. A razão para isso é que normalmente estamos falando sobre um software que não foi originalmente projetado para rodar na nuvem. Para aumentar a complexidade do assunto, os provedores tendem a oferecer alguns recursos para as iniciativas de migração de ERP, e quase nenhuma ferramenta para diferenciá-los de uma hospedagem simples.

Hoje, uma nova geração de software ERP surgiu para aproveitar os benefícios da nuvem. O ERP em nuvem foi concebido para explorar a arquitetura multi tenant, utilizar o acesso remoto via interface web, integrar-se com outras funcionalidades da internet e ser consumido como um serviço (SaaS). 

Como muitas outras soluções técnicas, a tecnologias por trás do ERP não é tão decisiva quanto sua implementação. Você pode encontrar ERPs desenvolvidos em tecnologia nativa web que performam muito mal na nuvem. Por outro lado, existem soluções ERP desenvolvidas em uma arquitetura cliente/servidor que se adequaram para executar tão bem quanto soluções nativas de nuvem.

Multi tenancy

A arquitetura multi tenant, ou multi-inquilino, geralmente é transparente para o consumidor final que não precisa lidar com nenhum dos seus aspectos além de saber que alguns ou todos dos seus recursos básicos são compartilhados entre múltiplos clientes. As razões para compartilhar a infraestrutura são técnicas e econômicas.

A necessidade de hardware de uma solução multi tenant é muito menor quando comparada àquela de uma solução dedicada que requer um conjunto completo de servidores de banco de dados, aplicativos e servidores de aplicação. De acordo com uma análise recente conduzida pela Sky.One, o uso de hardware de uma solução single tenant, em média, corresponde a 40% do seu TCO (Total Cost Of Ownership). Isso é consideravelmente maior comparado aos 5% para soluções multi tenant. Por exemplo, para cada $100/usuários/mês pagos por uma solução multi tenant de ERP na nuvem, apenas $5 vai para a infraestrutura, resultando em margens consideravelmente maiores para os provedores de ERP nativos em cloud.

As maiores empresas de ERP estão mudando suas soluções cliente/servidor do tipo single tenant para funcionar em uma arquitetura multi tenancy. O SAP é um bom exemplo de software que suporta essa arquitetura no seu banco de dados HANA. Isso permite aos seus clientes menores implantarem suas soluções de ERP em instalações multi tenant altamente escaláveis, compartilhando efetivamente o custo de servidores mais pesados. A Thomson Reuters é outro grande exemplo de compartilhamento na nuvem do servidor de aplicativos da sua solução fiscal, entre milhares de clientes, de uma forma segura e econômica.

A consolidação de implantações de software acelera e facilita a manutenção do software. Em cenários com vários inquilinos, uma única atualização afeta vários clientes ao mesmo tempo, garantindo que eles estejam executando uma versão consolidada e atualizada.

Web Access

O Web Access é a maneira moderna de democratizar o acesso ao software. Vários sistemas operacionais podem acessar o ERP, independentemente do tamanho da tela ou da localização do usuário. Frameworks de desenvolvimento web, como Angular ou React, são capazes de oferecer aos usuários a liberdade de acessar seus aplicativos Windows por meio da nuvem (e não somente da sua área de trabalho).

Aplicativos não-nativos da web agora podem ser virtualizados e entregues via Web Access. É o que ISVs estão fazendo para entregar seus aplicativos de cliente/servidor legados na nuvem por meio do acesso ao navegador da web. A tela do aplicativo em nuvem é transmitida para o navegador e o usuário pode operar a GUI original como se o software fosse instalado localmente. Embora a execução de uma interface ERP complexa em uma interface móvel possa ser um desafio, essa solução funciona perfeitamente para permitir o acesso de um software genérico em execução na nuvem a qualquer sistema operacional na internet. Essa funcionalidade está disponível no Auto.Sky, que também gerencia a infraestrutura de ERP na nuvem.

Integrações

Se você instalar um software nas dependências do cliente ou em um datacenter e deixá-lo lá, você não estará entregando nenhuma diferenciação. À medida que o mercado evolui continuamente e as regras e regulamentos mudam, é essencial que as soluções de software se adaptem, garantindo a liberdade para se atualizar e melhorar constantemente a solução.

A melhor maneira de conseguir isso é abrir a integração do software com as principais soluções disponíveis na web. Em vez de desenvolver e manter módulos como contabilidade, comércio eletrônico, serviços bancários e outros que não oferecem diferenciação significativa, um ERP pós-moderno se interliga com soluções de terceiros. Isso permite que você se foque de sua competência principal, mas ainda tenha acesso a complementos e integrações que atendam às suas necessidades de negócios.

Disponibilidade SaaS

Algumas empresas introduziram novos modelos de licenciamento de assinatura em uma tentativa de se parecer mais com uma oferta de SaaS. Uma verdadeira solução SaaS, no entanto, inclui vários recursos críticos, como ativação imediata, sem requisitos de hardware, escalabilidade e auto-gerenciamento. Esses aspectos representam um desafio significativo para uma indústria de software usada para vender licenças perpétuas, exigindo hardware robusto e meses para implementar. Apesar dos desafios, muitos fornecedores de ERP construíram um modelo sólido de SaaS que os diferencia dos demais.

As soluções multi tenant e nativas da web estão melhor posicionadas para oferecer um modelo SaaS, já que sua infraestrutura pode acomodar facilmente novos assinantes. As soluções tradicionais devem contar com níveis significativos de automação oferecidos pelos provedores de nuvem modernos para oferecer uma experiência semelhante.

A personalização ainda é um desafio que todas as soluções continuam enfrentando ao inserir um novo cliente. Existe um compromisso natural entre a replicabilidade e a escalabilidade das soluções de ERP em nuvem e o nível de personalização que acomoda esses sistemas. As soluções legadas de ERP adaptadas para a nuvem ainda têm uma vantagem quando instalações altamente personalizadas são necessárias.

Independentemente da tecnologia por trás de sua solução de ERP, a agilidade e a conectividade fornecidas pelos ERPs na nuvem parecem ser o caminho certo para qualquer empresa que queira manter seu back-office atualizado com as mais recentes inovações do mercado. A Sky.One trabalha diretamente com ISVs e revendedores, buscando modernizar suas aplicações e combiná-las com soluções de nuvem nativa.

 

Escrito por

Equipe Sky.One

Este conteúdo foi produzido pela equipe da SkyOne, composta por especialistas em nuvem e transformação digital.