Para os profissionais de tecnologia e da área de desenvolvimento de software, o termo API não é estranho aos ouvidos. A sigla significa Application Programming Interface, em tradução, quer dizer Interface de Programação de Aplicativos.

Para quem deseja entender mais sobre o que é API, esse se trata de um conjunto de rotinas e padrões definidos por um sistema operacional no uso de suas funcionalidades por outros aplicativos

Assim, o API é um meio para troca de informações entre sistemas diferentes, com qualidade, bom desempenho e assimilação. 

Essa ferramenta tem sido muito utilizada por desenvolvedores que produzem ou consomem tecnologia, por seu potencial de colaboração no bom desempenho de diferentes produtos tecnológicos, como sites, aplicativos, boots.

Dados do relatório divulgado pelo ProgrammableWeb, apontam que mais de 22 mil APIs foram comercializados e que, desde então, tem aumentado o número de vendas para 2 mil APIs a cada ano. 

Assim, em um mercado cada vez mais hiperconectado em serviços e produtos, as APIs são uma ferramenta valiosa para oferecer maior qualidade aos usuários e consumidores. Neste artigo, vamos falar mais detalhadamente do que vem a ser essa interface e qual a importância dela para o seu negócio. Leia até o final!

O que é uma API de integração?

Uma API de integração se refere a uma interface de mediação entre sistemas. Um deles envia informações e serviços que o outro sistema pode utilizar, sem que haja necessidade de conhecimentos técnicos específicos sobre a implementação do software. 

Dessa forma, o que a API faz é receber a informação, levar até o sistema responsável pelo processamento dos dados e entregar o que foi solicitado, seja uma informação ou uma tarefa, a depender do propósito de uso definido pelo programador ou desenvolvedor.

Benefícios

A API não exige intervenção do usuário. Ela é programada pela comunicação entre vários códigos que orientam comportamentos específicos de um objeto na interface. É um recurso muito usado, por exemplo, por sistemas de pagamento online, permitindo que o software ou aplicativo possa funcionar de modo automático.

Ela é uma interface programada por uma série de funções acessíveis, de forma autônoma. Assim, a API é utilizada, por exemplo, quando uma empresa de software necessita que outros desenvolvedores criem produtos associados ao seu serviço, da forma mais simples para os usuários.

Um exemplo bem conhecido é o aplicativo do Google Maps, que mantém um código original e outros aplicativos e sites o utilizam para finalidades diferentes. Dessa maneira, empresas que precisam de uma ferramenta de geolocalização para especificar locais, rotas, percursos e afins, podem utilizá-lo de maneira adaptada ao seu próprio aplicativo.

Exemplos de API

Além do Google Maps, podemos citar também as APIs para pagamentos, como PagSeguro, Cielo ou PayPal, que ajudam o usuário a realizar diferentes formas de transação financeira, como envio de pix, transferência bancária, recarga de valor em cartão de transporte público.

As próprias redes sociais – twitter, facebook, instagram – fazem uso das APIs para gerenciar opções de login utilizando senhas, endereços de e-mail cadastrados e outras informações no preenchimento de cadastros ou anúncios. 

Mercado financeiro

Além dos aplicativos já citados e que usam a ferramenta de interface, a maioria dos produtos do mercado financeiro, que investem em inovação inovação para os processos que realizam, como, por exemplo, o sistema de Open Banking, também trabalham com as APIs.

O Open Banking, por exemplo, funciona como um banco de dados padronizado, com a função de se comunicar entre empresas diferentes, permitindo a portabilidade, por exemplo, de recebimento de pagamento de salário, transações internacionais, sem toda a burocracia de documentos no atendimento presencial.

O Nubank, por exemplo, é um serviço de banco digital que já utiliza de forma bem prática a funcionalidade das APIs, inclusive propondo investimentos em bolsas de valores, com linguagem acessível aos usuários.

Redes Sociais

O whatsapp, que é uma das redes sociais mais utilizadas no mundo, utiliza as APIs de forma a integrar a rede de contatos, o envio de imagens e outros arquivos que podem ser compartilhados diretamente em outras redes sociais.

A interface disponibiliza opções variadas com o Google e até mesmo publicação instantânea em diferentes outras redes sociais cadastradas pelo mesmo usuário, sem intervenção de software específico.

E-commerce

O benefício do uso de APIS também tem contribuído com o sistema de comércio online, tanto na oferta de produtos para a venda, como acompanhamento de compras feitas em sites e aplicativos, como o Mercado Livre, EBay, e a OLX.

Leia também:

Integração marketplace: automatize seu negócio e lucre mais!

Localização

Além do já citado Google Maps, lembramos ainda dos serviços de transporte de aplicativo, o Uber, por exemplo, ou de GPS, como Waze. Uma API de geolocalização capta sinais de torres de celulares e WIFI. A funcionalidade permite a oferta de um serviço online e funcional na rotina de muita gente.

Como as APIs funcionam?

Já dá para ter uma ideia melhor do desempenho e funcionalidade das APIs pelos exemplos citados anteriormente. Mas é importante lembrar que a utilidade é adaptável à necessidade do consumidor, do usuário, do negócio e do desenvolvedor.

É possível criar diferentes possibilidades. Se um desenvolvedor pensar em um aplicativo no qual ele precise ter acesso à câmera do celular através do sistema operacional, sem uso de uma interface específica, a API é capaz de realizar essa função.

Importante reforçar ainda que as APIs garantem, sobretudo, segurança na criptografia dos dados. Elas são capazes de bloquear permissões ou acesso a dados de hardware que outras aplicações não usam.

Aproveite para ler:

Riscos cibernéticos: quais são e como evitá-los

As APIs SOAP e REST

Estas duas formas de aplicação de interface, mais direcionadas para as APIs web, possuem protocolos específicos na padronização da troca de informações, sendo a segunda mais utilizada que a primeira. 

SOAP é a sigla para Simple Object Access Protocol. Elas usam o XML como formato de mensagem e recebem solicitações por HTTP ou SMTP. Neste formato de API, o compartilhamento de informações é facilitado por informações executadas em ambientes diferentes ou escritos em linguagens diferentes.

REST significa Representational State Transfer. Outro modelo de API web que funciona pautada na arquitetura de desenvolvimento de software. Uma API para ser considerada RESTful deve estar em conformidade com seis restrições:

  1. arquitetura cliente-servidor;
  2. não ter monitoração de estado;
  3. a capacidade de cache;
  4. o sistema em camadas;
  5. código sob demanda (opcional);
  6. interface uniforme. 

Neste artigo, pudemos compreender melhor sobre o funcionamento, o uso e as diversas aplicações de uma API, de acordo com a necessidade do desenvolvedor e do usuário. Em quase todos os aplicativos que usamos há a presença desta ferramenta tecnológica. 

O uso das APIs garante inovação e integração entre diferentes empresas e soluções de tecnologia, mediando serviços e possibilitando somadas à capacidade de troca e volume de dados entre várias plataformas.

Gostou desse conteúdo? Então continue! Saiba, agora, como integrar seus softwares de forma simples e rápida. 

Escrito por

Equipe Sky.One

Este conteúdo foi produzido pela equipe da SkyOne, composta por especialistas em nuvem e transformação digital.