O objetivo maior de todo gestor de tecnologia é ter a certeza que todas as operações da empresa envolvendo a área de TI esteja em pleno funcionamento. A meta é ter alta disponibilidade em todos os serviços, evitando assim, prejuízos financeiros, queda de produtividade e outros aborrecimentos. Mas será que sua empresa tem uma missão tão crítica que justifique ter toda sua infraestrutura funcionando continuamente?

É importante destacar que, por mais benefícios que se tenha em manter todas as operações funcionando, essa alta disponibilidade tem um custo. Lembre-se que um dos objetivos de migrar para a nuvem é a busca pela redução de custos e por isso, ter uma alta carga de trabalho pode estar indo em contra esse objetivo.

Alta disponibilidade versus custo

No processo de migração para a nuvem, um dos passos do projeto é avaliar o uso das instâncias e serviços que irão atender as necessidades operacionais da empresa. Nessa etapa de levantamento são vistos por exemplo, os servidores de aplicação e banco de dados e funções como balanceamento de carga, replicação, backup e recuperação.

Saiba sobre a importância dos procedimentos de backup e recuperação na redução dos impactos de ransomwares

A realidade das empresas é que algumas cargas de trabalho inevitavelmente serão mais importantes do que outras, e o custo de ter uma alta disponibilidade nem sempre será justificado. Não faz sentido, por exemplo, investir tanto na proteção de instâncias dedicadas ao desenvolvimento e testes de software quanto você pode gastar para proteger seu aplicativo de folha de pagamento e soluções como ERP e CRM.

Instâncias para missão crítica e AWS Spot

Quando bem planejada, a arquitetura utilizada na nuvem deve atender cargas de trabalho que são de missão crítica e outras cargas de trabalho que não são tão importantes. Com base nesse cenário, é possível reduzir o custo das cargas de trabalho menos importantes, aproveitando as instâncias AWS Spot.

As instâncias AWS Spot possuem características idênticas a uma instância EC2 normal, a diferença ocorre em dois aspectos. O primeiro consiste no modelo de faturamento diferente entre os tipos de instâncias. A outra diferença é que as instâncias AWS Spot estão sujeitas a interrupção. Portanto, as instâncias AWS pot não devem ser executadas em cargas de trabalho que são de missão crítica.

Saiba como a nuvem tem contribuído para transformação digital das empresas

Para entender que tipo de instância utilizar é preciso verificar a forma como a Amazon Web Services opera. A Amazon investe em recursos de hardware através de suas instâncias EC2, para em seguida, liberar esses recursos para os assinantes. Um dos problemas com este modelo de negócios, é que, em determinados momentos, esses instâncias não serão utilizadas. Esses recursos representam a capacidade de hardware da AWS que está ociosa.

Para que que esses recursos de computação não sejam desperdiçados, a AWS oferece essas instâncias com desconto, apresentando as mesmas características definidas em uma instância EC2 normal.

O importante desse processo de escolha de instâncias é ter o entendimento da arquitetura utilizada na nuvem, de forma a definir que tipo de solução é considerada de missão crítica ou que pode ser utilizada com as instâncias AWS Spot. Ao final é possível obter uma redução de custos ao projeto.

Continue nos acompanhando em nosso blog e através das redes sociais. Entre em contato com a nossa equipe de especialistas e tire suas dúvidas sobre qual tipo de instância pode ser considerada como missão crítica em seu projeto de migração.

Escrito por

Equipe Sky.One

Este conteúdo foi produzido pela equipe da SkyOne, composta por especialistas em nuvem e transformação digital.