Aproveitando que estamos nos primeiros meses do ano, decidi revisar sobre as tendências da cloud computing para 2017. Normalmente as previsões são apresentadas nos últimos meses do ano anterior, então já temos algo entre quatro e cinco meses desde que os especialistas projetaram suas opiniões.

Além de saber o que vai acontecer durante o ano, é sempre importante entender os motivos que justificam a forte migração das soluções utilizadas e fornecidas pelas empresas para uma arquitetura na nuvem. Esse entendimento auxilia na definição dos projetos e reforça nas decisões sobre os investimentos em tecnologia a serem feitos nos próximos meses.

A palavra chave é consolidação

Sem dúvida nenhuma o principal fator que contribui com a massiva migração para a nuvem em 2017 é a consolidação da tecnologia. A AWS teve uma forte contribuição com esse amadurecimento, ao demonstrar todo o crescimento e possibilidades que a cloud computing poderia oferecer para as empresas. Seus diversos cases de sucesso provaram o potencial em utilizar os recursos da computação em nuvem dentro da estratégia de negócio.

Restrições relacionadas à segurança na nuvem foram resolvidas

Hoje já sabemos que utilizar uma nuvem pública na arquitetura de nossa solução é até mais seguro que manter uma infraestrutura em datacenter próprio e a preocupação com segurança é vital para o negócio das empresas que fornecem soluções de cloud computing.

Melhores práticas, investimentos constantes na infraestrutura, conformidade com as principais normas de segurança e governança e, principalmente, soluções que garantam a alta disponibilidade são alguns exemplos que demonstram que os riscos relativos à segurança da informação são minimizados quando se adota a computação em nuvem na arquitetura do negócio.

Muito além dos primeiros projetos

Além de diversos casos de sucesso, atualmente várias empresas realizaram a migração de suas soluções críticas e de alto risco para a nuvem privada ou híbrida. Além da infraestrutura, variadas soluções focadas em produtividade empresarial, serviços móveis, inteligência artificial, entre outras, já possuem todo o suporte de implantação e uso direcionada à nuvem.

A computação em nuvem vai além das startups: eu posso listar bons exemplos de grandes empresas, organizações ligadas aos governos, educação e diversas outras áreas de atuação como saúde, ciências, Big Data e Internet das Coisas (Iot).

Profissionais capacitados e com experiências práticas

Outro grande problema que sempre escutava quando se falava em cloud computing estava ligado à ausência de profissionais capacitados e com experiências reais com a arquitetura. Atualmente tanto o mercado quanto a academia já têm suprido a demanda na formação de capital humano com o perfil adequado para atender as necessidades da computação em nuvem.

E como citei anteriormente, a existência de tantos projetos bem sucedidos fez com que tenhamos mão de obra com bastante bagagem e boas práticas adquiridas.

Os novos projetos já incorporam a cloud computing em sua decisão estratégica

Um outro bom motivo que eu tenho certeza que vai acelerar ainda mais a migração das empresas para a nuvem é a incorporação da arquitetura já como parte da decisão estratégica das organizações. Em outras palavras, os projetos já estão sendo criados para “rodarem” na nuvem.

O baixo custo proporcionado pelo cloud computing permite direcionar o investimento para outras áreas importantes do projetos. O fato de poder escalar a arquitetura da solução de acordo com a demanda crescente do projeto permite às empresas adequarem os custos de acordo com o crescimento.

Como você pode ver, já temos uma boa lista de motivos para ter a certeza de que além das tendências para 2017, certamente continuaremos assistindo a uma forte migração das empresas para a nuvem em um curto espaço de tempo.

Continue nos acompanhando em nosso blog e aproveito para convidar você para continuarmos nossa conversa sobre tendências e tecnologia em nossas redes sociais.[:]

Escrito por

Equipe Sky.One

Este conteúdo foi produzido pela equipe da SkyOne, composta por especialistas em nuvem e transformação digital.