Segundo pesquisa realizada pela EY, os ataques cibernéticos aumentaram 300% em relação ao período antes da pandemia, tornando ainda mais urgente a adoção de boas práticas de segurança da informação.

E se engana quem pensa que pequenas e médias empresas não são alvo de ataques cibernéticos. Em pesquisa realizada pela PSafe, concluiu-se que entre 50% a 60% das pequenas e médias empresas sofrem algum tipo de ataque ou têm seus dados vazados. 

Assim, a ausência de investimento em cibersegurança, que muitas vezes é justificada pela indisponibilidade de orçamento ou mesmo por essas empresas não acreditarem ter seu negócio como alvo de hackers, acaba saindo ainda mais cara, refletindo no pagamento de resgates e multas e em prejuízos à reputação do negócio.

Ou seja, a cibersegurança deve ser uma preocupação para todas as empresas, independentemente do seu porte ou segmento de atuação. 

Diante deste contexto, este artigo visa dar dicas de boas práticas para garantir a segurança da informação na sua empresa. Leia até o final!

Por que pequenas e médias empresas não podem deixar a segurança de dados para depois? 

Segundo pesquisa da Capterra, em 2021, mais da metade das pequenas e médias empresas brasileiras foram vítimas de ataque cibernético, nas modalidades phishing e roubo de dados. 

Endossa essa pesquisa um estudo do Sebrae com a FGV que aponta que tais empresas são os principais alvos de hackers, uma vez que não possuem uma boa infraestrutura de cibersegurança, nem dispõem de ambientes seguros. Faltam também nessas empresas, conforme a pesquisa, colaboradores habilitados para cuidar do setor de TI/Segurança.

Com um sistema de TI vulnerável, as organizações de menor porte podem ser penalizadas pela Lei Geral de Proteção de Dados, em vigor desde agosto de 2021.

A lei, além de tratar da transparência no tratamento dos dados, deixando o cliente ciente de quais dados ele está fornecendo e como eles serão usados pelas empresas, também visa assegurar o direito à privacidade e à proteção de dados pessoais dos usuários, por meio de práticas transparentes e seguras.

Assim, se a empresa não consegue garantir boas práticas de segurança da informação de seus clientes, ela pode sofrer advertências, multas simples, bem como multas de 2% do faturamento da empresa até o teto de 50 milhões de reais, dependendo do tipo de infração, além de suspensão do acesso aos dados e do exercício da atividade com dados em um período de até 6 meses.

Dessa forma, o vazamento de dados que pode acontecer via invasão ou falha no sistema está passível de punição na LGPD e pode levar a empresa a encerrar suas atividades, de forma temporária ou definitiva, uma vez que multas elevadas podem acarretar até mesmo à sua falência. 

Ainda assim, uma pesquisa, também da Capterra, aponta que menos de 50% das pequenas e médias empresas no Brasil estão totalmente adaptadas à LGPD.

8 boas práticas de segurança da informação para o seu negócio

Diante dos riscos e prejuízos possíveis, listamos aqui algumas dicas para garantir a segurança de dados na sua empresa. Acompanhe! 

1- Treinamento para os colaboradores nas boas práticas de segurança da informação

A maioria dos ataques são consequência de uma ação humana. Um simples clique, por exemplo, em um link de email não confiável pode desencadear um grande ataque cibernético. 

Sendo assim, é essencial que os colaboradores da empresa sejam conscientizados e continuamente treinados para colocarem em prática as medidas de cibersegurança. 

Apresente as principais ameaças que a empresa pode sofrer e como tais ameaças podem ser identificadas pelo colaborador. Atualize também seus colaboradores sobre as tendências de cibersegurança, além de criar um protocolo de boas práticas de segurança da informação e deixar toda a equipe ciente de como ela funciona.

2- Soluções na nuvem

Serviços de computação em nuvem podem ser uma boa saída para pequenas e médias empresas que procuram por boas práticas de segurança da informação e que não elevem muito os custos.

Isso porque, os serviços em cloud contribuem para o aumento da performance, por meio de um suporte rápido e especializado, que passa a ser realizado pelo time contratado.

Além disso, ressalta-se que a cloud garante muito mais segurança que um data center local, pelo seu sistema de criptografia, pela equipe especializada que monitora o tempo todo o sistema, bem como pelas constantes atualizações que eles fazem em suas ferramentas de proteção.

Na Sky.One, oferecemos suporte ilimitado aos nossos parceiros, com ordens de serviço, seja por Web ou telefone. Além disso, nosso modelo de cobertura é 24 horas por dia, 7 dias por semana. Tudo isso garante que a equipe de suporte técnico responda a incidentes de acordo com seu nível crítico e SLAs.

3- Antivírus e boas práticas de segurança da informação

O bom e velho antivírus ainda é uma solução importante no combate aos ciberataques. 

Ainda assim, é fundamental destacar que a cibersegurança vai muito além de ter um bom antivírus. É necessário saber configurá-lo corretamente e utilizá-lo em conjunto com demais medidas preventivas contra ataques cibernéticos.

Para saber mais sobre segurança de dados, ouça o episódio 5 do Sky.Cast, o podcast da Sky.One!

5- Senhas fortes

Essa prática aqui também é simples, sem custo e bastante eficiente. Mapeie as senhas de acesso ao seu banco de dados e redefina-as, caso perceba que elas têm um nível de complexidade baixo e que podem ser facilmente violadas por invasores.

6- Backups na nuvem

Outra prática importante para garantir a segurança dos dados do seu negócio e boas práticas de segurança da informação é a realização de backups na nuvem. 

Ao contar com o backup na nuvem, o seu negócio é beneficiado com uma rápida recuperação dos dados, o que garante a continuidade das suas atividades e mitiga as chances de prejuízos financeiros decorrentes de interrupções provocadas por ataques cibernéticos ou mesmo falhas nos sistemas.  

Nessa boa prática de segurança da informação, o sistema de backup cria cópias dos arquivos que ficam salvos em servidores externos, online e que podem ser acessados de qualquer lugar, desde que se tenha internet.

7- Soluções EDR e boas práticas de segurança da informação

Uma solução EDR tem por finalidade monitorar, detectar e responder às ameaças de violação de banco de dados e outras aplicações. Assim, em uma interface intuitiva, ela permite que todo o sistema seja visualizado e as ameaças sejam detectadas com mais rapidez e eficiência. 

Isso porque essa solução contribui para detectar e responder rapidamente a ataques cibernéticos, facilitando a visão nos endpoints.

8- Certificação e conformidade

Certificação e conformidade também fazem parte das boas práticas. Assim, buscar certificar seu ambiente de TI e demais colaboradores relacionados, treinando-os, ajuda a alcançar as melhores experiências por quem já passou por erros e acertos.

Outro ponto importante das certificações é que elas permitem que as equipes gerenciem as atividades de segurança exigidas pelos diferentes padrões que existem no mercado. Tudo isso ajuda a gerar mais adesão aos auditores.

Assim, seu negócio estará menos sujeito a falhas humanas na gestão de segurança dos dados.

Boas práticas de segurança da informação para a sua empresa

Vimos, neste material, que as pequenas e médias empresas têm ainda um grande desafio pela frente de melhorar a proteção do seu banco de dados, posto que a cibersegurança é hoje premissa para a credibilidade da empresa e para manter-se em conformidade com as diretrizes da LGPD. 

Além de sofrer as penalidades da LGPD, ela pode ainda ter problemas de reputação junto ao seu público e perder espaço no mercado de forma irreversível.

Dessa forma, a decisão de buscar soluções que reforcem a segurança digital da empresa não pode mais ser adiada, é uma questão a ser resolvida o quanto antes. 

Foram mencionadas diversas práticas que incluem adoção de ferramentas de proteção e outras que exigem uma mudança na política de segurança da empresa e mesmo na cultura organizacional, limitando acesso a determinados bancos de dados, reforçando senhas e, principalmente, treinando e conscientizando os colaboradores sobre boas práticas na captação, armazenamento e uso de dados para evitar ataques cibernéticos ao sistema da empresa.

E o melhor: existem soluções disponíveis no mercado que podem ser ajustadas à realidade financeira e de proteção da PME. Assim, garantir a segurança digital não é luxo inalcançável, é uma necessidade básica de qualquer empresa que atue com dados, em menor ou maior escala, atualmente.

Saiba mais sobre cibersegurança neste material com perguntas e respostas sobre segurança na nuvem.