A virtualização de servidor consiste em um processo de dividir um servidor físico em vários servidores virtuais únicos e isolados por meio de um software. 

Assim, cada servidor virtual pode executar seus próprios sistemas operacionais de forma independente.

Acompanhe este artigo até o final e descubra tudo sobre o tema: o que é, como funciona, quais são suas vantagens e quais são os tipos de virtualização de servidores. Confira!

Leia também:

O que é Cloud Computing: descubra como funciona e suas vantagens

O que é virtualização de servidores?

Ao usar um software especialmente projetado para fazer a virtualização, um administrador pode converter um servidor físico em várias máquinas virtuais. A partir daí, cada servidor virtual – na nuvem – atua como um dispositivo físico único, capaz de executar seu próprio sistema operacional.

Também podemos definir a virtualização de servidores como uma forma de integrar e executar serviços, softwares e sistemas operacionais em um único espaço online: a nuvem.

Ou seja, Cloud Computing nada mais é do que utilizar vários servidores virtuais na formação de redes distribuídas de serviços. Hoje é quase impossível realizar qualquer ação na internet sem estes servidores virtualizados, que sincronizam as informações de vários dispositivos.

Para usuários finais, o software virtualizado funciona exatamente como um nativo instalado em uma máquina física. Só que, nesse caso, o acesso passa a ser feito através de um navegador ou através de plugin, a depender da tecnologia adotada.

Como funciona na prática?

Normalmente, os data centers corporativos consistem em um conjunto de muitos servidores, sem uma integração clara e precisa entre eles.

Na maioria dos casos eles ficam ociosos, pois o cliente ao realizar a contratação do servidor pensa em suportar um repentino aumento de acessos. Mas o que acontece normalmente é isso: você demanda uma carga de trabalho bem abaixo do contratado.

Isso resulta no desperdício de recursos como hardware, energia, manutenção e requisitos de refrigeração. No caso, a melhor alternativa é a virtualização de servidores. Essa é uma forma de dividir os recursos de um servidor físico em diversas repartições virtuais.

Aqui vamos descrever as 4 partes de funcionamento da virtualização:

  • Servidor físico: é uma máquina física composta por CPU, memória, discos, conexões de rede e conexões a SAN;
  • Hypervisor: é instalado no servidor um software chamado Hypervisor, com capacidade para dividir o hardware em pequenas partes, funcionando como uma ponte entre o servidor físico e as máquinas virtuais. O Hypervisor tem o papel de intermediar a instalação de sistemas operacionais e de subdividir o sistema em partes que podem ser configuradas de maneira independente;
  • Máquinas virtuais: cada uma destas partes divididas é como uma “fatia” do hardware. Estas partes ficam armazenadas em arquivos dentro do sistema operacional do Hypervisor;
  • Instalação do Hypervisor nas máquinas virtuais: em cada máquina pode ser instalado um sistema operacional diferente, de acordo com a necessidade.

Na virtualização de servidores há maior eficiência na utilização de recursos se tudo for ajustado corretamente. Afinal, esse trabalho pode ser ajustado de acordo com os requisitos desejados. O usuário pode modificar a memória RAM, o espaço em disco e também outros recursos.

Tudo isso requer uma quantidade bem menor de hardware em comparação com o número equivalente de máquinas físicas que as organizações demandavam anos atrás.

Tipos de virtualização de servidores

Quando analisamos esse processo e suas possibilidades, é importante destacar que existem 3 tipos de virtualização de servidor:

1. Virtualização completa

A virtualização completa é essa que vimos até aqui. Ela usa um Hypervisor, que monitora os recursos do servidor físico e mantém cada servidor virtual independente e sem conhecimento dos outros.

2. Paravirtualization

Ao contrário da virtualização completa, o Paravirtualization envolve toda a rede trabalhando em conjunto como uma unidade coesa.

Como cada sistema operacional nos servidores virtuais está ciente um do outro nesse modelo, o Hypervisor não precisa se valer tanto do poder de processamento para gerenciar os sistemas operacionais.

3. Virtualização no nível de sistema operacional

Ao contrário da completa e Paravirtualization, a virtualização no nível do sistema operacional não usa um Hypervisor. Em vez disso, o recurso de virtualização, que faz parte do sistema operacional do servidor físico, executa todas as tarefas.

No entanto, todos os servidores virtuais devem executar o mesmo sistema operacional neste método de virtualização de servidor.

10 vantagens da virtualização de servidores

Maior mobilidade da carga de trabalho, maior desempenho e disponibilidade de recursos, operações automatizadas, área de TI mais simples de gerenciar e operar. Esses são alguns dos benefícios da virtualização que tornam o processo tão importante hoje em dia.

No fim, o grande objetivo é gerenciar e alocar recursos de maneira eficiente. Isso deve ser feito de forma que não afete suas políticas de segurança, governança e conformidade

Agora vamos conhecer os detalhes da lista das 10 principais vantagens que tornam esse processo tão relevante para as empresas.

1. Sistemas mais seguros

As máquinas virtuais trabalham de forma independente, isoladas umas das outras, inclusive do local hospedeiro (host). Por isso existem diferentes tipos de segurança e sistemas operacionais para cada serviço, individualmente.

2. Custos reduzidos

Quem pensa que para se trabalhar com virtualização e com sistemas mais modernos precisa gastar absurdos, está enganado. Gasta-se muito pouco com hardware, computadores e outros dispositivos.

3. Economia de energia

Com os sistemas virtualizados, também é possível economizar bastante com eletricidade. Isso acontece por causa da redução de uso de hardware: menos máquinas ligadas, menos energia elétrica consumida.

4. Economia de espaço físico

Com menos máquinas e dispositivos, há uma considerável redução de utilização de espaço físico nas empresas. Além disso, não é mais necessário contar com salas com temperatura específica, o que representa mais um tipo de economia.

5. Menos hardwares ociosos ou inativos

Não existem hardwares ociosos com a virtualização. Os recursos são alocados de maneira mais eficiente entre as máquinas virtuais.

Acompanhar esse processo, junto com uma solução sólida de backup e recuperação, garantirá que você mantenha a integridade de seus dados sólida e qualquer tempo de inatividade mínimo.

6. Ambiente de testes

Antes de implementar uma aplicação, é possível testá-la no ambiente virtual de software, diminuindo bastante os riscos de erros de procedimentos deste tipo. Contar com esses ambientes é fundamental hoje em dia, garantindo um nível de segurança ainda maior com as aplicações.

Além disso, é mais fácil testar o novo sistema e software usando a virtualização, pois não requer nenhum hardware adicional e o teste pode ser feito rapidamente.

7. Facilidade de migração de ambientes

Com a virtualização de servidores, você consegue evitar todo o trabalho de reinstalação e configuração dos sistemas.

Ele fornece flexibilidade ao usuário para que ele possa modificar tudo de acordo com as migrações necessárias. A modificação pode ser feita em minutos e pode ser ajustada facilmente quando a carga de trabalho muda.

8. Segurança de dados

Todos os dados referentes à propriedade intelectual ficam seguros dentro do banco de dados da empresa. Uma vez que são armazenados em vários locais diferentes, se ocorrer um desastre, os dados podem ser recuperados facilmente.

9. Implantação de Servidores Simplificada

É muito simples trabalhar com a implantação de máquinas virtuais. Não há necessidade de aquisição de novos hardwares, tendo em vista que o que está sendo implementado é um servidor virtual. Também não há necessidade de adequar os ambientes para receber energia elétrica e nem ter mais espaço para banco de dados.

Isso se torna um importante benefício para as equipes de TI também, que não precisam mais substituir hardware e eliminar malwares das máquinas.

O uso da virtualização permite que sua equipe simplesmente implante um novo recurso sem ter que lutar com reparos e recuperações, que podem desperdiçar um tempo valioso. Agora eles podem gastar o tempo em projetos mais críticos para os negócios.

10. Múltiplos Sistemas Operacionais em uma única plataforma

Com a virtualização, vários sistemas operacionais podem trabalhar juntos em um único servidor.

E passando por todas essas vantagens, podemos destacar que, ao optar pela virtualização, a segurança, a economia de custos e a economia de espaço físico são o que realmente pode fazer a diferença em uma empresa.

Quanto custa a virtualização de servidores?

Como vimos, o custo reduzido está entre as principais vantagens de realizar a virtualização de servidores. Essa redução pode chegar até 40% do custo operacional tradicional com o modelo de data center.

Mas falando de valores concretos, quando custa a virtualização? Aqui existem 2 caminhos a seguir:

Custos com uma nuvem privada

Para montar uma estrutura privada que permita fazer a virtualização, mesmo que seja mais em conta que o modelo tradicional, demanda a aquisição de alguns elementos para o seu funcionamento.

Além de equipamentos como o próprio servidor, switch e storage, é necessário adquirir o hypervisor e instalar também o sistema operacional no servidor. Todo esse pacote precisa contar ainda com uma solução de gerenciamento de dispositivos.

Essa estrutura já custará entre R$ 30 e R$ 40 mil para implementação, fora os custos fixos de aproximadamente R$ 10 mil.

Custos com fornecedor de serviços na nuvem

Este é o modelo mais econômico, já que o pagamento é feito de acordo com as cargas de trabalho, ou seja, baseado no consumo realizado ou até mesmo com uma base fixa mensal do serviço na nuvem.

Esse é o benefício de contar com soluções que utilizam como base a AWS (Amazon Web Services), Google Cloud ou Oracle Cloud, por exemplo. Aqui o custo é medido por hora ou por número de usuários. No geral, esse investimento pode variar, começando a partir de R$ 500 ou R$ 1000 para empresas com menos usuários.

Ao migrar para a nuvem com o Auto.Sky, uma solução Sky.One, você deixa toda a complexidade da nuvem conosco e garante sua conexão através de uma plataforma com disponibilidade via web, possibilitando que os usuários possam acessar o sistema de onde estiverem. 

Saiba mais sobre como o Auto.Sky pode modernizar o seu negócio ao migrar seu software desktop para SaaS de forma rápida e segura: 

Auto.Sky: migrando seu software para a nuvem com a Sky.One

 

E então, ficou interessado em começar a trabalhar com esse processo? Se você deseja conferir mais dicas práticas e começar a implementar agora a virtualização de software, comece agora sua Jornada para a nuvem!