O Supply Chain Finance pode parecer um conceito complexo, mas depois de entendê-lo, o seu negócio poderá contar com uma prática de gestão estratégica e vantajosa.

Afinal, estamos sempre em busca de compreender as necessidades do negócio, e claro, encontrar soluções para deixar a operação ainda melhor.

Para isso, existem algumas técnicas que ajudam não apenas a conhecer como a sua produção acontece, mas também o que pode torná-la ainda mais eficiente e completa, como é o caso do financiamento da cadeia de suprimentos. E é sobre isso que vamos falar hoje. 

Veja quais as diferenças deste para outros conceitos de gestão, quais os seus benefícios e os desafios de colocar ela em prática!

O que é o Supply Chain Finance?

Supply Chain Finance, ou Financiamento da Cadeia de Suprimentos, pode ser entendido inicialmente como um conjunto de estratégias que visam diminuir os riscos sobre a gestão do capital de giro, promovendo uma relação equilibrada entre compradores e fornecedores a fim de atender a sua demanda.

Na prática, é a busca por garantir relações favoráveis entre todos os envolvidos na produção, desde o início, com a matéria-prima, até o final, com a venda.

Essa análise é fundamental para melhorar o desempenho do seu setor financeiro, pois oferece um maior conhecimento sobre onde e como você utiliza o seu capital.

No entanto, não é só isso. Depois de avaliar a gestão financeira da sua cadeia de suprimentos, é possível estabelecer algumas alternativas que ofereçam as melhores condições para todo mundo. Ou seja, com o pagamento dos fornecedores e o aumento do prazo para o comprador.

Além disso, o financiamento da cadeia de suprimentos também pode ser entendido como uma forma de administrar os valores envolvidos em toda essa operação.

Não se trata de um empréstimo propriamente dito, mas um processo feito pelas instituições financeiras autorizadas pelo Banco Central que permite, por exemplo, o adiantamento de fornecedores e antecipação de recebíveis, realizando a manutenção da relação ganha-ganha.

E isso se torna possível por meio desse financiamento especial e estratégico.

Qual é a diferença entre Supply Chain e Supply Chain Finance?

Apesar dos nomes parecidos, esses dois conceitos não são a mesma coisa. No entanto, eles são complementares, e por conta disso, é fundamental compreendê-los do jeito certo.

A princípio, o Supply Chain é um termo conhecido, que pode ser traduzido para Cadeia de Suprimentos. Trata-se de todo o processo e caminhos realizados entre a produção e a entrega de um produto. Ou seja, envolve a retirada da matéria-prima, transporte, industrialização do material, acabamentos e, finalmente, a distribuição.

Contudo, esse processo de cadeia envolve uma série de departamentos, como fabricantes, fornecedores e varejistas, por exemplo. Nesse caso, a avaliação da cadeia de suprimentos no viés financeiro é o que chamamos de Supply Chain Finance.

Em resumo, um conceito se refere às etapas práticas da produção, enquanto o outro traz uma gestão especializada deste processo, integrando todos os participantes desse processo sob um olhar financeiro.

Principais desafios do Supply Chain Finance

Mesmo sendo uma prática vantajosa para o seu negócio, especialmente para a gestão da cadeia produtiva, o Supply Chain Finance possui alguns desafios quanto à sua implementação.

Nesse caso, vale a pena conhecer alguns desses pontos, para se preparar e transformar a sua empresa da melhor maneira possível:

Integração de equipes

Uma cadeia de suprimentos é composta por diversas etapas, desde a compra de insumos, até o envio dos produtos finalizados para os clientes. Isso significa que existem várias equipes responsáveis por fazer essa produção acontecer.

Assim, um dos desafios do Supply Chain Finance é integrar esses colaboradores, de modo que o esforço e a logística estejam alinhados.

Dessa forma, será mais fácil trazer um equilíbrio que agrade a todas as equipes e negociar os pagamentos sem comprometer o seu capital de giro.

Parceria com os fornecedores

Para que o Supply Chain Finance possa ser um sucesso na sua empresa, é preciso contar com fornecedores alinhados aos seus objetivos.

Nesse cenário, encontrar boas parcerias é um dos grandes desafios do gestor antes de colocar o Supply Chain Finance em prática.

Afinal, sem colaboradores que concordem com o seu posicionamento, não será possível realizar a manutenção da relação de ganhos.

Além disso, a parceria deve beneficiar a ambos, não apenas com o adiantamento dos pagamentos, mas também com taxas e descontos para a empresa.

Para obter isso, é necessário contar com uma parceria efetiva, além da gestão de fornecedores no varejo, o que pode ser mais complicado.

Monitorar os resultados

Ainda, uma dificuldade do Supply Chain Finance é monitorar corretamente os resultados dessa prática, ao menos sem um sistema profissional adequado.

Isso porque as mudanças necessárias para atender a todas as partes da cadeia trazem determinados retornos para a empresa, e mensurar se eles são positivos nem sempre é simples.

Além disso, é fundamental estar atento a todos os impactos dessa estratégia, como o atraso em uma entrega, por exemplo, que pode não apenas afetar o comprador, mas também influenciar na relação de pagamentos.

Dessa forma, monitorar todos esses resultados é um dos desafios enfrentados pelo gestor, especialmente se não tiver um sistema ERP conectado a todas as fases.

Quais são os principais benefícios do Supply Chain Finance?

Depois de conhecer alguns desafios dessa prática, diversos gestores podem ficar receosos quanto ao Supply Chain Finance. Por outro lado, existe uma série de benefícios que acompanham essa estratégia e nós separamos os principais para você conferir:

  • Aumenta a disponibilidade de capital de giro

O Supply Chain Finance altera a forma de pagamento e recebimento da empresa de modo que aumenta a disponibilidade de capital de giro. Isso porque algumas despesas, como fornecedores, são pagas no presente, enquanto os compradores podem negociar outros prazos mais vantajosos.

Essa antecipação de prazos fortalece o valor disponível para arcar com as despesas do negócio de ambas as partes, além de contar com o pagamento dos compradores em momentos estratégicos.

  • Mais vendas

Com o Supply Chain Finance, é possível balancear a gestão financeira da empresa de modo a oferecer mais prazos e ofertas para os compradores. Isso se torna um importante argumento de vendas, que pode aumentar o número de negociações e, consequentemente, o faturamento recebido.

E, claro, condições mais favoráveis e interessantes de compra também atrai mais públicos, o que é vantajoso para você.

  • Melhora o planejamento financeiro

Por fim, vale a pena mencionar que o Supply Chain Finance é uma estratégia que ajuda a melhorar o seu planejamento financeiro. Afinal, é necessário um estudo detalhado sobre a sua empresa, permitindo conhecer seus processos de maneira mais profunda.

Com essas informações, você poderá estruturar um plano melhor adaptado para atender às suas necessidades, reduzindo as chances de endividamentos e promovendo ações mais concretas, como projeção de vendas e recebimentos.

Vale a pena aderir ao Supply Chain Finance?

Como prática estratégica e alternativa financeira para movimentar os recursos da sua empresa, o Supply Chain Finance é uma opção que vale a pena considerar.

Essa estratégia é capaz de alinhar as principais etapas do processo operacional, estabelecendo uma relação de ganhos mútuos entre fornecedores, compradores e o negócio.

Além disso, também permite avaliar alternativas financeiras além de empréstimos, com taxas mais acessíveis para antecipar recebimentos e adiantar o pagamento de distribuidores.

Isso fortalece o fluxo de caixa e o capital de giro dos envolvidos, além de atrair mais clientes, com ofertas mais flexíveis de compra. 

Conheça o Sky.Simple

O Sky.Simple é uma plataforma de operações de crédito estruturado, com integração com os principais ERPs do mercado.

Criamos um ecossistema completo para a criação de qualquer operação de crédito. Monte uma operação sob medida para a sua empresa. Use a diversidade de soluções do Sky.Simple:
– Risco Sacado
– Estruturação de FIDC
– CRI
– CRA
– CR
– Debênture
– Nota Comercial

Além das operações tradicionais de crédito, tornamos a sua operação mais simples:

1- Identificamos a necessidade do cliente;
2 -Estruturamos a operação;
3- Encontramos o financiador;
4- Entregar a operação pronta.

Vem com a gente ter uma nova experiência na sua gestão!

Escrito por

Equipe Sky.One

Este conteúdo foi produzido pela equipe da SkyOne, composta por especialistas em nuvem e transformação digital.