Por: Caio Klein l Co-Founder da Sky.One

Primeiro é necessário entender que varejo não é uma coisa só e as formas de varejo estão passando por esse tempo único com diferentes níveis de impacto.

Destaco três principais setores: o Alimentício, o “Atacarejo” e o de Bens Duráveis. Por isso, analisaremos brevemente os impactos por setor:

Alimentício

O setor alimentício está bem, obrigado! É claro que não passou sem arranhões e aqueles que ofereceram melhores forma de compras online se saíram mais fortes ainda. Mas as pessoas continuam comprando em lojas físicas, até mais do que faziam antes pois praticamente todas as refeições passaram a ser preparadas em casa, abastecidas pelos mercados próximos que não fecharam.

“Atacarejo”

O “atacarejo” sofreu um pouco mais, pois muito de seus clientes restaurantes deixaram ou reduziram muito as vendas. O jeito foi inovar, vender de formas diferentes para aqueles que continuam comprando.

Bens Duráveis

Já o setor de bens duráveis sofreu e ainda sofre bastante. São milhares de lojinhas e redes de produtos diversos que tiveram que fechar suas portas e como diversas outras atividades econômicas, interromperam seus serviços. E mesmo depois da tímida e cautelosa reabertura lidam com o temor dos clientes em voltar a frequentar suas lojas da mesma forma que faziam. É um enorme desafio e se adequar às novas exigências, é a única forma de encarar o que há por vir.

A reação do mercado

Nesse cenário confuso paira um sentimento quase unânime de incerteza e muitos empresários seguem receosos de tomar qualquer decisão de investimento. Sobreviver tem sido a palavra de ordem, porém a luz já parece apontar no fim do túnel e aqueles que estiverem se posicionando neste momento estarão mais bem preparados para aproveitar a retomada gradual da economia. 

Abrir lojas físicas pode ser uma alternativa para algumas redes, reajustar o tamanho, melhorar a logística e otimizar as formas de financiamento podem ser interessantes para outras, mas sem dúvida investir na transformação digital dos seus negócios passa a ser um fundamento que todos estão adotando. 

Seja em canais de comunicação digital com clientes, em ferramentas de e-commerce mais modernas e integradas ou na virtualização dos recursos de informática, os empresários estão buscando novas formas de reduzir custo, aproximar os clientes e os funcionários no mundo digital e explorar tudo que a tecnologia pode trazer sob novas formas de receita ou melhoria de margem. 

Estamos trabalhando com muitos parceiros fornecedores de tecnologia para o segmento de varejo no sentido de levar diferenciação tecnológica para os empresários do setor. Seja por meio da  infraestrutura como serviço ou da disponibilização de uma variedade de soluções que entregam e-commerce eficiente, validação fiscal, integração com CRM, conexão com formas de pagamento, dicas de precificação, recomendações de compra e até mesmo serviços financeiros integrados ao ERP. Existe um ecossistema muito grande que permite ao empresário do setor aproveitar o que há de mais moderno em tecnologia e muito bem alinhado às novas exigências do mundo pós pandemia.