O ano de 2020 já está marcado pela pandemia de COVID-19, que desde março vem alastrando-se no Brasil. As consequências da paralização em muitos setores, redução de funcionários e medidas de proteção trouxeram algumas mudanças e também prejuízos para muitas empresas.

Um dos setores mais atingidos pela pandemia foi o de Transporte e Logística, que ao mesmo tempo em que teve sua demanda de serviços aumentada, precisou dispensar funcionários e adaptar processos.

De acordo com uma pesquisa divulgada recentemente pela CNT – Confederação Nacional do Transporte – sobre o impacto COVID-19 no segmento de transporte, 41,80% das empresas estão com sua saúde financeira muito comprometida, 27,90% delas estão com a situação financeira equilibrada e com capacidade de pagamento, 27,40% consideram-se parcialmente comprometidas e 2,90% não responderam à pesquisa.

O levantamento, que contemplou 858 empresas de cargas e de passageiros, de todos os modais de transporte, entre os dias 9 e 15 de julho, também apontou que 52% delas fizeram a solicitação de crédito durante a pandemia, mas 54,30% tiveram sua solicitação negada.

Como se preparar para a retomada

Com um cenário financeiro tão negativo para grande parte das empresas de transporte, conforme relatado pela pesquisa, a principal questão para os próximos meses de retomada comercial é como se reerguer e ganhar competitividade novamente?

Para que uma empresa de Transporte e Logística reinvente-se em um momento de pandemia existem quatro fatores fundamentais que precisam estar no radar:

  • Rentabilidade: Não apenas no conceito de lucro e prejuízo, mas analisando quais custos são benéficos para a sua empresa e aproveitá-los da melhor maneira, seja por meio de treinamentos para a equipe ou investimentos em novos produtos. É de extrema importância ir além dos indicadores financeiros para focar nos resultados;
  • Processos: Muitas vezes a pouca rentabilidade da empresa é consequência de um processo errado ou mal executado, por esse motivo este é um fator de grande relevância que deve ser observado e, quando necessário, alterado para que o resultado final seja otimizado;
  • Tecnologia: Na grande maioria das vezes, para que uma empresa possa modificar seu processo, ele precisa estar apoiado em tecnologia e automação dos processos. E esse talvez seja um dos únicos pontos positivos da pandemia, o avanço tecnológico e da cultura digital em todos os segmentos, sendo requisito fundamental para qualquer empresa;
  • Transformação: Será o resultado final da junção dos três fatores anteriores. As transportadoras devem visar uma transformação digital acima de tudo, bem como reduzir custos e otimizar os serviços de entrega.

A tecnologia aliada ao processo de retomada

Um estudo realizado pela Sociedade Brasileira de Varejo indicou que 61% dos clientes que compraram online durante a quarentena aumentaram seu consumo via e-commerce em decorrência do isolamento social e, em 46% dos casos, esse aumento superou 50%. Devido ao aumento do consumo, as empresas de transporte e logística precisaram se reinventar de maneira rápida para que o consumidor não tivesse que lidar com prazos de espera tão longos ou fretes caros. Para ajudar nesse processo de adaptação às transformações dos hábitos digitais, muitas companhias aderiram à tecnologia cloud em seus sistemas.

A tecnologia em nuvem minimiza todos os processos manuais, otimiza o tempo, reduz paralizações, automatiza os processos e proporciona uma extração de dados em tempo real a fim de que a partir deles, a empresa tenha os melhores resultados. Em um levantamento feito pela Sky.One chegou-se à conclusão de que os custos (27,27%), a agilidade (22,73%) e a inovação (20%) estão entre os fatores de pressão mais enfrentados pela área de TI dentro das empresas, e são estes os principais responsáveis por fazerem com que haja a tomada de decisão de migração dos sistemas operacionais para a nuvem, a fim de reduzir custos, aumentar a celeridade da operação e inovar na maneira de entregar o produto ao consumidor final.

A pesquisa revelou ainda quais são as principais tecnologias de automação que as empresas de Transporte e Logística têm buscado ao migrarem seus softwares para a nuvem: sistemas de rastreamento e monitoramento (23%), informações em tempo real (20,5%), sistemas de roteirização (13%), conferência de carga eletronicamente (12%), sistema de gerenciamento de armazéns (11%), automação de tarefas na gestão de pátios (10,5%) e uso de coletores de dados com smartphones (10%).

É notável que as tecnologias têm auxiliado as transportadoras a terem mais visibilidade e controle do fluxo das atividades logísticas. Sem a adoção de tecnologias, de novos processos e sem olhar a rentabilidade, torna-se impossível alcançar a transformação necessária para se realocar no mercado. Nos tempos atuais, a regra é simples: quem se adapta, sobrevive. Nesse sentido, temos aqui uma oportunidade de aprendizado. A tecnologia pode ser uma grande aliada para reinventar o seu negócio neste momento. Clique aqui e fale com um especialista para saber como a Sky.One pode ser o melhor parceiro nessa jornada!