Pentest: o que é, como funciona e quando fazer?

Hoje, a segurança da informação emerge como uma prioridade incontestável para empresas que buscam resguardar seus dados sensíveis e manter a confiança de seus clientes.

De acordo com o relatório “Cyber security trends 2023: The latest threats and risk mitigation best practice – before, during and after a hack”, o número de casos em que ocorre vazamento de dados está aumentando a cada ano: dobrou de 40% em 2019 para quase 80% em 2022, com um 2023 significativamente mais alto.

Diante desse cenário, o Pentest, ou teste de invasão, surge como uma ferramenta importante na defesa cibernética, desempenhando seu papel na identificação e correção de vulnerabilidades antes que cibercriminosos possam explorá-las.

Assim, durante esse artigo, vamos compreender de maneira mais profunda o Pentest, oferecendo uma visão abrangente sobre o que é, como funciona,  quando e por que sua empresa deveria considerar a implementação dessa prática. 

Saiba como fortalecer, de uma vez por todas, os alicerces da segurança digital em sua organização!


O que é Pentest?

Pentest (abreviatura para teste de penetração) é uma prática essencial onde especialistas simulam ataques a sistemas de informação para identificar vulnerabilidades. O objetivo é encontrar e corrigir as falhas antes que indivíduos mal-intencionados possam explorá-las.

Assim, a metodologia de um Pentest pode envolver várias etapas, iniciando pela definição do escopo e seguindo pelas fases de reconhecimento, ganho de acesso, manutenção do acesso e análise dos resultados. É por meio dessa avaliação aprofundada que as empresas podem fortalecer suas defesas contra ameaças reais.

A realização de um teste de penetração emprega uma série de ferramentas específicas. É possível incluir scanners de vulnerabilidade, ferramentas de cracking, frameworks para testes de intrusão e diversas outras opções que auxiliam na simulação de ataques de diversos tipos e complexidades.

Dessa forma, as fraquezas que podem ser descobertas com os Pentests variam desde configurações inadequadas até falhas de software e problemas de hardware. Identificando essas fraquezas, as empresas podem realizar ações corretivas para mitigar os riscos, garantindo uma infraestrutura de TI muito mais segura.


Por que a segurança cibernética é tão importante para as empresas?

Como vimos no início deste artigo, o número de ataques cibernéticos só aumenta com o passar dos anos. Os ataques de ransomware, por exemplo, cresceram 50% durante o primeiro semestre de 2023.

Por isso, a segurança cibernética tornou-se um pilar essencial para empresas de todos os tamanhos devido ao perigo que as ameaças digitais representam mundialmente.

Assim, informações confidenciais, como dados de clientes e propriedade intelectual, são ativos valiosos que exigem proteção robusta contra acessos não autorizados. Além disso, ataques cibernéticos podem interromper operações diárias, causando prejuízos financeiros significativos.

As consequências de um ataque são severas: um vazamento de dados pode danificar a confiança do cliente e a imagem pública da empresa, resultando em perda de negócios e problemas legais. 

Dessa forma, profissionais de cibersegurança têm a função de criar e manter uma estrutura de segurança organizacional robusta e que considere todas as áreas do negócio. Eles devem ser responsáveis por:

  • Identificar e corrigir vulnerabilidades na rede;
  • Implementar protocolos de segurança avançados;
  • Realizar monitoramento contínuo para detectar comportamentos suspeitos.


Para empresas, uma estratégia de segurança cibernética sólida é menos uma opção e mais uma necessidade, sendo crucial para proteger tanto os seus interesses quanto os dos clientes. E o Pentest é uma excelente ferramenta para construí-la. 


Quais são os tipos de Pentest existentes?

Hoje, existem três principais tipos de Pentests, cada um oferecendo diferentes níveis de análise e contexto durante a avaliação de segurança. Confira sobre cada um deles abaixo:


Black box

No Pentest do tipo black box, o testador tem pouco ou nenhum conhecimento prévio sobre os sistemas-alvo. Eles imitam um atacante externo que realiza o exploit sem informações internas, o que fornece uma perspectiva realista sobre o que um invasor poderia descobrir e explorar.


White box

Diferentemente do black box, o Pentest do tipo white box é realizado com um conhecimento completo da infraestrutura a ser testada. É essencialmente uma auditoria de segurança interna detalhada, onde o testador tem acesso a diagramas de rede, códigos-fonte e outras informações relevantes. Assim, esse teste normalmente resulta em uma avaliação de vulnerabilidade mais aprofundada.


Grey box

O Pentest do tipo grey box é uma abordagem intermediária que fornece ao testador um conhecimento parcial do sistema, simulando um ataque por alguém que tem algum nível de acesso ou conhecimento interno. Esse tipo de teste ajuda a avaliar o quão bem um sistema aguenta ataques internos.

 

As principais metodologias de Pentest

Antes de iniciar um teste de penetração, é crucial entender as metodologias envolvidas nesse processo. Elas guiam os testadores durante o processo de reconhecimento, definem o alcance do teste, e garantem que todos os aspectos da aplicação web sejam examinados de acordo com os padrões estabelecidos.

Confira algumas das metodologias existentes:


OWASP Testing Guide

A OWASP Testing Guide é um recurso compreensivo que fornece uma série de ferramentas e técnicas focadas na segurança de aplicações web. Detalha um processo de teste em quatro fases e abrange tudo, desde o planejamento e a preparação até a obtenção de informações e o teste de vulnerabilidade. É uma referência essencial para profissionais que realizam Pentests em aplicações web.


NIST SP 800-115

Conhecido por “Technical Guide to Information Security Testing and Assessment”, oferece uma abordagem governamental e mais formalizada ao Pentest. Enfatiza o planejamento meticuloso e a documentação e recomenda procedimentos para a identificação de vulnerabilidades em sistemas. Inclui métodos para testar a eficácia das medidas de segurança e é usado frequentemente em conjunto com outras normas para testes de conformidade.


PTES (Penetration Testing Execution Standard)

O PTES fornece uma estrutura padrão para realizar Pentests, orientando sobre a definição do escopo e procedimentos. Esta norma ajuda a garantir que todos os Pentests sejam executados com um nível de rigor e consistência, abordando etapas que vão desde o pré-engajamento até o relatório final. Ela promove uma compreensão clara do que está sendo testado e por que, o que é essencial para entregar resultados de teste eficazes.


Qual é a diferença entre o Pentest e a análise de vulnerabilidades?

O Pentest e a análise de vulnerabilidades são duas abordagens fundamentais na segurança da informação. Entretanto, eles têm objetivos distintos dentro de um contexto de avaliação e fortalecimento da infraestrutura de TI. Veja, na tabela abaixo, as principais diferenças eles eles:

Análise de vulnerabilidadesPentest
Foco principalIdentificação de pontos fracos em sistemas e redesSimulação de ataques para identificar e explorar vulnerabilidades
MetodologiaAutomatizada, empregando softwares específicosCombinação de técnicas automatizadas e manuais, exigindo habilidades avançadas 
ProfundidadeSuperficial, pois não explora ativamente as vulnerabilidades encontradasIntensiva e detalhada, implicando na execução de ataques controlados para testes


Uma análise de vulnerabilidades serve como um passo inicial para entender as possíveis falhas de segurança, enquanto o Pentest tem como objetivo avaliar a eficácia das medidas de segurança já existentes, permitindo uma avaliação mais realista da resistência de um sistema contra ataques reais. 

Em resumo, a análise de vulnerabilidades destina-se a encontrar falhas; já o Pentest procura explorá-las, de maneira ética, para entender as implicações reais de uma brecha em potencial.


Como saber qual é o momento certo para realizar um Pentest?

No mundo da segurança da informação, a realização de um teste de penetração, é essencial para entender a resiliência de uma organização a ataques. Assim, determinar o momento adequado para realizar um Pentest passa por diversos fatores, incluindo:


Após mudanças significativas na infraestrutura

É prudente realizar um Pentest quando houver modificações substanciais no ambiente de TI, como a implementação de novos sistemas ou atualizações importantes.


Antes do lançamento de aplicativos ou sistemas

Garantir que novas aplicações estarão seguras antes de seu lançamento ao público é fundamental.


Após incidentes de segurança

Caso a empresa tenha sofrido um incidente de segurança, um Pentest subsequente pode identificar outras possíveis vulnerabilidades não exploradas anteriormente.


Conformidade regulatória

Muitas normas e regulamentos exigem testes de penetração periódicos para manutenção da conformidade.

Para a maioria das organizações, recomenda-se que o Pentest seja realizado pelo menos anualmente. No entanto, empresas em setores altamente regulados ou com grande exposição online podem necessitar de uma frequência maior.


Como funciona um Pentest: as fases de um teste de penetração de sistema

O processo estruturado do Pentest envolve uma série de fases que vão desde o planejamento até a execução de ataques controlados para identificar vulnerabilidades.

Confira como elas funcionam na prática:


Identificação e planejamento

No início de um Pentest, a fase de identificação e planejamento é essencial para estabelecer o escopo e os objetivos do teste. Isso inclui definir quais sistemas serão testados e quais métodos serão utilizados, fundamentais para um planejamento eficaz.


Coleta de informações

A coleta de informações é a etapa que antecede os ataques reais. Envolve o reconhecimento intensivo, procurando por dados públicos que possam auxiliar na identificação de pontos de entrada no sistema. Ferramentas de vulnerability scanning podem ser usadas para automatizar parte desse processo.


Detecção de vulnerabilidades

É a fase que envolve o uso de ferramentas e técnicas para encontrar falhas que possam ser exploradas. Assim, é a etapa que possibilita criar um mapa das falhas de segurança existentes no sistema em teste.


Exploração de vulnerabilidades

Durante a fase de exploração de vulnerabilidades, os especialistas tentam explorar as falhas encontradas na etapa anterior. Vulnerabilidades como SQL injection são testadas e, se a exploração for bem-sucedida, o realizador pode ganhar acesso não-autorizado ao sistema.


Análise de dados e relatório

Após as tentativas de exploração, inicia-se a análise de dados e relatório, compilando os resultados e elaborando detalhes sobre as vulnerabilidades descobertas. A comunicação é a chave; assim, o relatório precisa ser claro e objetivo, fornecendo recomendações para mitigação dos riscos identificados.


Quais são as recomendações pós-Pentest? O que fazer?

Após a realização de um Pentest, algumas medidas são essenciais para garantir que a segurança da informação da empresa esteja reforçada. Confira as recomendações:

  • Análise detalhada do relatório: é fundamental que a equipe de TI analise meticulosamente os resultados apresentados, compreendendo as vulnerabilidades descobertas;

  • Priorização de vulnerabilidades: nem todos os pontos fracos têm o mesmo nível de risco. É necessário priorizar a correção com base no potencial de dano que cada um pode causar;

  • Gestão de fraquezas: manter um registro das vulnerabilidades e monitorá-las continuamente permite que a organização gerencie as fraquezas proativamente;

  • Plano de remediação: deve-se elaborar um plano de ação para remediar as falhas identificadas. As ações podem incluir atualizações de software e de configurações;

  • Treinamento de funcionários: após o Pentest, é preciso educar a equipe sobre as melhores práticas de segurança que serão adotadas;

  • Testes de verificação: após a implementação das correções, é recomendável executar novos testes para garantir que as medidas foram efetivas.

  • Revisão de políticas de segurança: se necessário, revisar e atualizar as políticas de segurança internas para prevenir futuras vulnerabilidades.


Dessa forma, é possível fortalecer a postura de segurança dos negócios contra ataques cibernéticos, assegurando-se de que as falhas encontradas no Pentest sejam adequadamente gerenciadas e corrigidas.


Quais são as vantagens do Pentest para as empresas?

Vantagens do pentest


Como vimos até aqui, o Pentest permite não apenas a identificação e resolução de vulnerabilidades, mas também fortalece a postura de segurança perante ameaças constantes.

Agora, veremos algumas das principais vantagens dessa ferramenta para as empresas:


Identificação proativa de vulnerabilidades

O Pentest possibilita a detecção ativa de falhas de segurança, permitindo que a empresa antecipe ataques externos. Essa análise é crítica, pois revela pontos fracos antes que sejam explorados por terceiros.


Avaliação da postura de segurança

Por meio do Pentest, as empresas obtêm um diagnóstico preciso de como suas defesas reagem diante de diversas estratégias de ataque, orientando o planejamento estratégico de segurança.


Mitigação de riscos

As informações obtidas com o Pentest orientam no desenvolvimento de soluções para a mitigação de riscos eficazes, diminuindo assim as chances de incidentes de segurança que possam impactar a empresa.


Conformidade com regulamentações

Muitas indústrias exigem a conformidade com normas de segurança. Assim, empresas que realizam Pentests demonstram comprometimento em atender a esses requisitos, evitando penalidades.


Treinamento da equipe de segurança

O Pentest também serve como uma ferramenta de treinamento, educando a equipe de segurança sobre onde focar seus esforços e como reagir a ameaças reais.


Economia de custos a longo prazo

Investir em testes de penetração pode significar uma economia financeira a longo prazo, evitando gastos com incidentes de segurança, danos a sistemas e perda de dados.


Proteção da reputação do negócio

A realização de Pentests demonstra responsabilidade e zelo pela segurança, preservando a imagem da empresa e evitando danos à sua reputação que podem surgir através de violações.


A importância do Pentest para os diferentes setores do mercado

Com a transformação digital, a realização do Pentest se tornou essencial para empresas de todos os segmentos do mercado, não apenas as de tecnologia. Além disso, ele é adaptável à realidade de cada setor, considerando suas peculiaridades e regulamentações específicas.

Veja como cada área pode se beneficiar dele:


Setor Financeiro

Instituições financeiras estão constantemente sob ameaça de ataques cibernéticos. Assim, o Pentest nesta área contribui para proteger dados financeiros e de clientes, detectando pontos fracos antes que sejam explorados.

Saúde

As informações de saúde são extremamente sensíveis. Uma avaliação rigorosa por meio do Pentest garante a integridade e a privacidade dos dados dos pacientes, além de estar em conformidade com regulamentações rígidas de segurança.


Educação

Universidades e escolas costumam armazenar dados de alunos e pesquisas valiosas. Assim, o teste ajuda a manter a segurança destes dados, prevenindo perdas de informações vitais ou exposições indesejadas.


E-commerce

Esse setor envolve transações monetárias online contínuas. Com o Pentest, vulnerabilidades podem ser encontradas e corrigidas, o que é crucial para manter a confiança do cliente e a integridade do sistema.


Governo e serviços públicos

Para os órgãos governamentais, a segurança cibernética é primordial para proteger informações confidenciais do Estado e dos cidadãos. Dessa forma, o teste de penetração assegura que os sistemas sejam robustos contra ataques e vazamentos de informações.


Pentest: os principais desafios 

Com o ritmo acelerado de inovação tecnológica e as incessantes ameaças cibernéticas, o Pentest tem se adaptado constantemente. 

Profissionais dessa área enfrentam uma demanda crescente por segurança diante de novas metodologias de ataque, necessitando manter-se sempre atualizados com as últimas tendências e desafios da cibersegurança.

Trazemos, abaixo, algumas tendências importantes:


Evolução das ameaças cibernéticas

Os métodos de ataque estão se tornando cada vez mais sofisticados, obrigando os profissionais de Pentest a desenvolverem técnicas avançadas para identificar vulnerabilidades. 

Assim, a complexidade do código e a diversidade de plataformas ampliam o espectro de pontos de falha, requerendo uma formação abrangente e adaptação constante.


Pentest em ambientes de nuvem

A migração para o ambiente de nuvem introduz desafios únicos em cibersegurança. A avaliação de vulnerabilidades nesse contexto deve considerar a configuração da infraestrutura, o controle de acesso e a separação de dados. 

Diante desse cenário, a proteção em ambientes de nuvem requer uma visão integrada que combine pentest tradicional e conhecimento especializado em cloud security.


IoT e segurança cibernética

Com a expansão do número de dispositivos conectados através da Internet das Coisas (IoT), novos pontos de ataque são adicionados à rede. 

Assim, cada dispositivo representando um possível vetor de ataque amplifica a necessidade de testes de penetração robustos e específicos para IoT, além da conscientização de que a segurança deve ser tratada durante toda a vida útil do dispositivo.


O que esperar do futuro do Pentest?

Como dita a principal tendência mundial, o futuro do Pentest certamente incluirá avanços tecnológicos e a adoção de inteligência artificial para aprimorar a eficácia das práticas de segurança.

Confira:


Inovações tecnológicas em segurança cibernética

Profissionais de segurança cibernética cada vez mais adotam ferramentas inovadoras e tecnologias avançadas para fortalecer suas estratégias de Pentest.

No futuro, esperam-se avanços em termos de automação para realizar análises de vulnerabilidade mais eficientes e precisas. Estas inovações permitirão identificar e explorar vulnerabilidades que atualmente podem passar despercebidas durante os testes de penetração. As principais tendências nesse sentido são:

  • Capacidades avançadas de reconhecimento;
  • Automatização na identificação de falhas de segurança;
  • Iniciativas de planejamento e testes mais adaptativos e contextuais.


Inteligência artificial e machine learning

A utilização de inteligência artificial (IA) e machine learning está revolucionando a forma como os Pentests são conduzidos. Essas tecnologias permitem não só a simulação de ataques cibernéticos mais complexos, mas também proporcionam análises profundas e detalhadas que são essenciais para um relatório de Pentest abrangente. As principais tendências nesse sentido são:

  • Machine learning na predição e análise de comportamentos maliciosos;
  • Melhoria contínua do processo de Pentest através de aprendizado e adaptação automática;
  • Capacidade ampliada dos profissionais de segurança para interpretar dados e responder a ameaças.


3 estatísticas que comprovam a importância do Pentest

Importância do Pentest

Os dados cada vez mais evidenciam a importância crítica dos Pentests como uma camada de defesa imprescindível contra as ameaças sofisticadas no mundo digital. Veja, abaixo, três estatísticas valiosas que ilustram a importância desse processo para redes e aplicações web:

  • Um estudo do Instituto Ponemon indica que o custo médio de uma violação de dados é de aproximadamente 3,86 milhões de dólares. Os testes de penetração ajudam as empresas a identificar e sanar vulnerabilidades antes que sejam exploradas, minimizando prejuízos financeiros significativos;

  • Relatórios mostram que 43% dos ataques cibernéticos são direcionados às aplicações web. A realização regular de Pentests permite que as empresas detectem falhas de segurança no desenvolvimento de aplicações, reforçando a segurança da rede e reduzindo as chances de ataques bem-sucedidos;

  • Ainda de acordo com o Instituto Ponemon, as empresas levam, em média, 280 dias para encontrarem a fonte de uma violação de dados após um problema de segurança cibernética. Assim, Pentests sistemáticos são essenciais para identificar essas falhas desde o início, assegurando que as aplicações se mantenham protegidas desde a implantação.


Skyone: seu Pentest com uma equipe altamente especializada

Depois de todas essas informações, a pergunta que fica é: o ambiente digital do seu negócio está realmente seguro? Esteja um passo à frente dos invasores, corrigindo vulnerabilidades e mitigando riscos!

O Pentest da Skyone, também conhecido como Teste de Invasão, se baseia na compreensão profunda de técnicas de ataque, em vulnerabilidades conhecidas e desconhecidas e em como os cibercriminosos podem explorá-las.

Assim, nossos especialistas verificam de forma proativa se existem brechas para acesso às suas informações confidenciais, a possibilidade de negação dos serviços, o sequestro dos dados com fins de solicitação de resgate e muito mais.

Saiba mais sobre a nossa plataforma!


Conclusão

A realização de um Pentest é um passo crucial no fortalecimento da segurança cibernética. Ele permite a identificação e a remediação de vulnerabilidades, atuando como um catalisador para a melhoria contínua das estratégias de defesa de um negócio. 

Hoje, os ataques estão cada vez mais sofisticados, gerando milhões em prejuízos para as empresas ao redor do mundo. Um deles é o ransomware – ataque esse que muitos líderes de organizações ainda têm dúvidas sobre os impactos e como combater.

Aproveite e confira nosso artigo especial sobre esse assunto!

Artigos relacionados

Como podemos ajudar sua empresa?

Com a Skyone, o seu sono fica tranquilo. Entregamos tecnologia end-to-end em uma única plataforma, para seu negócio escalar de forma ilimitada. Saiba mais!

Skyone
Infinitas possibilidades.

Tudo na vida são possibilidades!

A Skyone está presente em todos os setores da economia, agindo no invisível, fazendo a tecnologia acontecer.

Oferecemos produtividade com nuvem, dados, segurança e marketplace em uma única plataforma. Nunca paramos para que empresas de dezenas de países não parem.

Skyone. Uma plataforma. Infinitas Possibilidades.